domingo, 16 de novembro de 2014

Para mim o viver é Cristo: William Hay Macdowell Aitken Hunter(1841-1927)



Pois então, quantos Cristãos nominais há que gastam suas vidas sobre uma variedade de objetos diferentes, enquanto para facilitar as suas consciências eles reservam um certo resíduo de sua existência para os deveres da religião, e para o serviço formal e sem coração de um deus ídolo. Sim; não é “o único verdadeiro Deus” que tais adoram;  pois Ele se recusa ser tratado assim .  Ele requer a obediência de todo o nosso ser, e unicamente pode ser adorado com adoração espiritual. Este é o motivo pelo qual o chamamos Deus, e para o qual alguns de nós apresentam o resíduo insignificante de uma vida desperdiçada, não é ao todo o Jeová real, mas uma criação miserável de nossa própria fantasia, um deus que temos fabricado segundo as nossas próprias imaginações depravadas. A religião de S. Paulo não era o resíduo, mas era a textura inteira de sua vida. “Para mim o viver é Cristo.”

Eu não posso deixar de pensar que isto pode ter um efeito muito útil, bem como um efeito surpreendente sobre um grande número de Cristãos nominais se eles estivessem a colocar estas cinco palavras no papel, e, então, preencha a sexta palavra após um autoexame cuidadoso: “Para mim o viver é ______________” O que! Eu poderia, com algum grau de verdade empregar tal linguagem como esta em minha vida? A minha experiência é em tudo como isto? Eu estou mesmo objetivando este ponto, ou esperando que algo como isto já deveria  ter sido atingido por mim? “Para mim o viver é Cristo.” E eu poderia aqui pontuar a vocês, meus queridos amigos, pois isto não é uma sorte de regra de perfeição pela qual somente os maiores santos podem esperar viver; antes é uma descrição da experiência Cristã e normal. Nós merecemos o nome de Cristãos na medida em que isto é verdade em nós – “Para mim o viver é Cristo;” e se não é verdade em nós, podemos porventura merecer o nome de Moralistas ou de Legalistas; mas o nome de Cristão não merecemos, porque este é o diferencial apresentado do verdadeiro Cristianismo.
  
The Highway Of Holiness. 
 William Hay Macdowell Aitken Hunter(1841-1927). 
London: John F. Shaw and Co. p. 18-19.

Nenhum comentário:

Postar um comentário