quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Preciso ser crucificado



Gostaria de ler para vocês algo escrito por Jessie Penn Lewis, porque acho que ela conseguiu colocar isso de uma maneira bonita e clara que eu não conseguiria colocar.

Temos falado da cruz e de nossa morte para o pecado conforme Romanos 6; a respeito da cruz e de nossa morte para o mundo conforme Gálatas 6; e algumas vezes sobre a vida pela morte do "grão de trigo" descrito em João 12:24. Porém é possível receber luz a respeito de todos esses aspectos da cruz e experimentar uma certa libertação através da verdade e mesmo assim não conhecer, bem lá no profundo do nosso ser, a retirada do EGO como centro em nossas vidas conforme o apóstolo coloca em 2 Coríntios 5:14.

Em outras palavras, há mais profundo a ser tratado do que a morte para o "pecado” e para o "mundo". É o EGO, o EU. Será que a cruz já penetrou lá? É até a essa profundeza que precisamos chegar para trazer a cruz. Não há outro meio do Senhor liberar os seus rios
 de água viva ou de sermos trazidos ao lugar de autoridade sobre o poder das trevas, porque o EU está envenenado em sua fonte pela natureza caída do primeiro Adão.

Irmãos e irmãs, esse é o sentido central da cruz. Agora é verdade que na cruz nosso Senhor Jesus carregou nossos pecados levando-os, pagando por eles. É verdade que na cruz nosso velho homem foi crucificado e que nós fomos libertos do poder do pecado que habita em nós. Também é verdade que pela cruz fomos separados do mundo. O mundo irá olhar para nós como estando mortos e nós iremos olhar para o mundo como morto, é verdade. Porém é o EU, o EGO, que você precisa detestar.          Não é algo fora de você. É a sua própria vida, você mesmo. O EU precisa ser crucificado na cruz. De outra maneira você não saberá o significado da cruz. 

In: A Cruz. Stephen Kaung

Nenhum comentário:

Postar um comentário