terça-feira, 2 de dezembro de 2014

A LÂMPADA MARAVILHOSA




A LÂMPADA MARAVILHOSA
THE WONDERFUL LAMP
AMERICAN TRACT SOCIETY

MUITOS anos se passaram desde que meu tio Benjamin me convidou para ir a sua casa, para passar meu décimo aniversário na companhia de meus primos. Quando eu estava perto de retornar para a minha casa naquela noite, meu tio colocou em minha mão uma nova moeda brilhante. Era uma grande soma para eu possuir; e não um pouco enigmático para mim de como poderia gastá-la. Após um tempo, resolvi que a moeda nova poderia ser trocada por um livro.

Meu propósito uma vez fixado, em poucos minutos me encontrei numa loja, onde sendo atraído por uma figura colorida em um livro, eu o comprei. O título era: “A Lâmpada Maravilhosa;” tudo o que agora me lembro sobre ele é, que era uma história tola de um mágico, que deu a uma pessoa jovem uma lâmpada, pela qual ele era capaz de escapar de todos os perigos, vencer todos os seus inimigos, e por último alcançar a felicidade.

Esta tola história encheu a minha mente com ideias tolas de seres e coisas que nunca existiram. Mas eu tenho ficado mais sábio desde então, e tenho aprendido que tais histórias são falsas, absurdas, e calculadas para enganar as mentes da juventude.

Quatro anos se passaram, meus dias de estudante se foram, e eu estava perto de entrar para o cenário dos negócios do mundo. Meu décimo quarto aniversário tinha chegado; e eu novamente fui passar o dia com meu tio Benjamin. As horas se passaram agradavelmente na companhia dos meus primos; mas, por fim, o momento chegou quando devíamos nos separar.

Meu tio, enquanto eu estava de pé na entrada da porta, deu-me outro presente de aniversário. “Tome isto, meu garoto,” disse ele, “e com ele, possa o Deus de toda graça te abençoar, e te guardar no caminho que você deve seguir.”

Assim dizendo, ele colocou em uma mão uma nova moeda brilhante, e na outra uma Bíblia bem encadernada, com uma folha dobrada no texto: “Lâmpada para os meus pés é Tua palavra e luz, para o meu caminho.” Salmo 119:105. E verdadeiramente tenho descoberto isto no caminho que eu tenho trilhado: ela tem me guardado de muitos perigos nos quais eu estava quase caindo; e resolvi, na dependência da divina graça, seguir Sua luz, até que ela me guie com segurança até o céu.

Sinto uma preocupação para que outros possam tirar proveito do que tenho dito. Mas, oh, como começarei a falar do valor desta verdadeira “lâmpada maravilhosa;” e como dirigirei os jovens a usá-la corretamente?

Que lâmpada pode ser comparada a ela? Não é presente do homem nem dos anjos: ela é presente de Deus para um mundo tenebroso; a luz do céu, lançando os seus raios sobre todas as eras dos tempos, e, em parte, expondo o mundo celestial a nossa vista. Ela claramente mostra o caminho para a alegria do alto, apesar de todos os perigos e ciladas que assediam os pés do jovem viajante.

Então fui viver com uma pessoa que tinha um negócio de ótica, e um homem de muita sabedoria e piedade. Como ele mesmo amava a Bíblia, estava preocupado que tudo em sua vida a amasse também.  Em sua loja havia telescópios, óculos, e lâmpadas, de vários tipos e tamanhos.   

Para me interessar em meu novo emprego, um dos homens foi dirigido a me mostrar uma lâmpada curiosa que ele estava fazendo. Tinha quatro vidros, e conforme o seu jeito foi transformada, e lançou-se uma luz de uma cor diferente: o homem segurava uma de um jeito, e a luz que brilhava através do vidro era um verde brilhante; ele a transformou novamente, e  os raios eram um belo carmesim; mais uma vez ele mudou sua posição, e tudo ao redor ficou da cor do céu azul; mas no último vidro, achei que foi o melhor; foi um amarelo dourado. Não foi apenas um pequeno deleite com esta lâmpada, e comecei a desejar que fosse minha.

Quando os negócios do dia foram encerrados, meu empregador começou a conversar comigo a respeito desta lâmpada. “Ela tem frequentemente me lembrado da Bíblia,” disse ele. “Deste santo livro pode ser dito ter quatro vidros. O primeiro eu posso chamar de história: ele lança sua luz sobre o passado, desde o primeiro homem que pisou esta terra, através das diferentes eras deste mundo, ao tempo de nosso Senhor e Seus discípulos; e, ao contrário de muitas outras histórias, é um relato fiel e verdadeiro dos eventos mais importantes que já são conhecidos. O segundo é o vidro do preceito, pelo qual podemos ver claramente o caminho do dever e da santidade. O terceiro vidro é aquele da profecia, derramando sua luz sobre aquilo que está por vir. E por último, eu posso chamar de o vidro da promessa, dando uma luz jubilosa na estação sombria.”

Pouco tempo depois disto, meu empregador intentou testar um novo telescópio que ele tinha feito para um astrônomo; e, como um privilégio, me foi permitido ficar além do meu horário de costume, para testemunhar o belo cenário do céu à noite. Oh, nunca esquecerei o deleite com o qual eu contemplei pela primeira vez através de um telescópio tão grande. A lua apareceu com sua luz e partes escuras, que são suspeitas de ser suas montanhas e vales; milhares de estrelas brilhantes no céu, muitas delas de cores vívidas e belas. Mas quando eu disse que havia milhões ou milhares que o telescópio poderia não alcançar, oh, como eu desejei uma lente que pudesse me mostrar todas elas, e descobrir se há ou não seres felizes e santos habitando nelas, e o que eles fazem, e como eles vivem, e se eles pecam e pecam como nós e morrem como nós neste mundo inferior.

 Depois que consegui ir para a cama, me mantive acordado por um longo tempo, pensando no que eu estava segurando. De manhã, quando nos assentamos para o café da manhã, meu empregador, que parecia ter o hábito de comparar as coisas espirituais com coisas temporais, notáveis, e que a Bíblia poderia ser comparada a um telescópio.

“É verdade,” disse ele, “isto não satisfaz a nossa curiosidade, ao nos dizer de mundos e seres com os quais nada temos a fazer; mas ele penetra além das estrelas no mais alto do céu, e fixa diante de nós mundos e seres que nenhum olho mortal já alcançou: ele olha dentro do próprio céu; e pela fé podemos observar os santos anjos diante do trono de Deus, e também os espíritos de santos glorificados, com as harpas de ouro, e as roupas brancas, e palmas de vitória, onde eles não pecam mais, nem ninguém morre mais, mas já cantam os louvores do Senhor que os ama, e os lava de seus pecados em Seu próprio sangue precioso. A Bíblia também rompe através das trevas que esconde o mundo da miséria da nossa visão, e nos mostra o estado daqueles que morreram no pecado, sem crer no Salvador do mundo.”

Um dia vi o mestre consertando uma lâmpada, que pareceu a mim de singular construção. Eu perguntei o que era.

“Uma lâmpada segura, mestre Henry,” disse ele.

“Bem, nunca vi tal lâmpada antes,” disse eu: “mas por que é chamada de lâmpada segura; e como é usada?”

“Para aqueles que descem dentro das minas,” continuou o mestre, “frequentemente encontro com gases confinados que explodem quando uma luz é trazida para perto deles; e muitas centenas de pobres mineiros têm, então, perdido suas vidas. Mas um homem sábio, a alguns anos atrás, inventou esta lâmpada, pela qual os mineiros podem ver o seu caminho ao longo das passagens escuras da mina com pouco perigo. Elas estão agora geralmente sendo usadas nas minas de carvão da Inglaterra, e são chamadas ‘Davys,’ do nome do inventor, Senhor Humphry Davy.”

“Esta lâmpada tem, pois, sido uma grande bênção para o mundo,” disse meu empregador; “mas quão rica bênção maior a Bíblia tem provado ser. Muitos sãos os inimigos que nos assola, e as estradas erradas que nos convida a entrar; mas vamos confiar na Bíblia, que ainda será achada como uma lâmpada para os nossos pés, e uma luz para o nosso caminho.” 

Entre as muitas coisas curiosas com as quais eu logo me tornei familiar, foi um “telescópio invertido;” ele mostrava cada coisa em uma posição contrária ao que realmente estava: ele fazia as mais estranhas aparições que você possa imaginar.

“Ah,” disse meu mestre, “isto não é como a Bíblia; que mostra cada coisa como exatamente ela é.”

Ao olhar de volta para o meu passado, eu não posso ser grato o suficiente pelo presente do meu tio – a Bíblia, e por um professor piedoso, que, por sua conversa e exemplo, falou-me do seu valor.

Mas podemos possuir uma lâmpada útil e por querer conhecer o seu uso correto, ela pode ser deixada de lado, como de pouca dignidade, e coberta de poeira. Eu desejo que este nunca seja o caso com o livro de Deus. Se você aprender o seu uso:

Traga cada coisa para a sua luz. Você pode seguramente confiar à ela, pois ela mostra cada coisa em sua natureza e em suas cores próprias. Não se admire, então, que homens malvados negligenciem a Bíblia: “Todo aquele que faz o mal aborrece a luz e não vem para a luz para que as suas obras não sejam reprovadas.” João 3:20. Quando é pedido a mim para ir ao parquinho, ou à feira, tenho pensado: “Não entres na vereda dos ímpios, nem andes pelo caminho dos maus.” Provérbios 4:14. Quando convidado para passar o dia do Senhor em diversões, a luz brilhou da página sagrada: “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.” Êxodo 20:8. Quando tentado a algum pecado, tenho chamado à mente o que está escrito: “O salário do pecado é a morte.” Romanos 6:23. Pois então, eu espero, que os santos raios desta luz têm brilhado ao redor do meu caminho, e me guarda de muitos males nos quais outros têm caído – alguns não se levantaram mais.

Use-a constantemente. Quão frequentemente tem o presente de meu tio me proporcionado direção e conforto em minha jornada até aqui. Tem provado ser um amigo que nunca me falhou. Na prosperidade tem falado a mim: “Se as vossas riquezas aumentam, não ponhais nelas o coração.” Salmo 62:10. Quando adversidade ou doenças têm assombrado a minha mente, meu ânimo tem sido levantado com as palavras: “Filho meu, não desprezes a correção do Senhor e não desmaies quando, por Ele, fores repreendido.” Hebreus 12:5. Quando trazido a parar, e não sei se vou para a direita ou para a esquerda, tenho descansado sobre a promessa: “Instruir-te-ei e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os Meus olhos.” Salmo 32:8. Estive junto ao túmulo daqueles que eu amo, uma luz brilhou da Bíblia no próprio sepulcro: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em Mim, ainda que esteja morto, viverá.” João 11:25. E acima de tudo, quando as trevas enchem minha mente, da convicção que eu sou um pobre pecador culpado, oh, que alegria tem se levantado em meu coração, quando leio as deleitosas palavras: “O sangue de Jesus Cristo, Seu Filho, nos purifica de todo pecado.” 1 João 1:7. Isto tem sido tudo para mim. Se você olhar para Deus por Sua bênção, Ele proverá o mesmo para você

Use-a em oração. Podemos fazer mal uso da Bíblia bem como negligenciá-la. Muitos não a entendem, porque não oram para que o Espírito Santo possa guiá-los em toda a verdade. Se você quer uma oração curta, a própria Bíblia te ajudará com uma: “Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da Tua lei.” Salmo 119:18.
“Divino Instrutor, gracioso Senhor,
Estejas Tu para sempre perto:
Ensina-me a amar Tua sagrada Palavra,
E ver lá meu Salvador.”

Siga Sua luz. Ela certamente te guiará a Jesus, o Salvador dos pecadores. “Examinai as Escrituras,” pois Elas testificam Dele. João 5:39. Todos os raios desta luz celestial centram Nele. Desde então aprendemos, que: “Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores,” 1 Timóteo 1:15, e que Ele é capaz, desejando, e esperando para salvar. Da cruz de um Redentor crucificado te guiará para o céu, onde há dia perpétuo e perfeito, e onde a luz da Bíblia não será mais necessária, mas onde você bendirá o nome do Senhor por dar esta lâmpada para os seus pés como por ter guiado você através da escuridão da terra para a luz eterna e a glória do céu.
“Esta lâmpada através de toda a fraca noite da vida
Guiará o nosso caminho,
Até que observemos a mais clara luz
De um dia eterno.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário