sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

READING PSALMS (KING JAMES VERSION/ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA)


PSALM 74

Maschil of Asaph.

1 O GOD, why hast thou cast us off for ever? why doth thine
anger smoke against the sheep of thy pasture?

2 Remember thy congregation, which thou hast purchased
of old; the rod of thine inheritance, which thou hast
redeemed; this mount Zion, wherein thou hast dwelt.

3 Lift up thy feet unto the perpetual desolations; even all
that the enemy hath done wickedly in the sanctuary.

4 Thine enemies roar in the midst of thy congregations;
they set up their ensigns for signs.

5 A man was famous according as he had lifted up axes
upon the thick trees.

6 But now they break down the carved work thereof at once
with axes and hammers.

7 They have cast fire into thy sanctuary, they have defiled
by casting down the dwelling place of thy name to the
ground.

8 They said in their hearts, Let us destroy them together:
they have burned up all the synagogues of God in the land.

9 We see not our signs: there is no more any prophet:
neither is there among us any that knoweth how long.

10 O God, how long shall the adversary reproach? shall the
enemy blaspheme thy name for ever?

11 Why withdrawest thou thy hand, even thy right hand?
pluck it out of thy bosom.

12 For God is my King of old, working salvation in the
midst of the earth.

13 Thou didst divide the sea by thy strength: thou brakest
the heads of the dragons in the waters.

14 Thou brakest the heads of leviathan in pieces, and gavest
him to be meat to the people inhabiting the wilderness.

15 Thou didst cleave the fountain and the flood: thou
driedst up mighty rivers.

16 The day is thine, the night also is thine: thou hast
prepared the light and the sun.

17 Thou hast set all the borders of the earth: thou hast made
summer and winter.

18 Remember this, that the enemy hath reproached, O
LORD, and that the foolish people have blasphemed thy
name.

19 O deliver not the soul of thy turtledove unto the
multitude of the wicked: forget not the congregation of thy
poor for ever.

20 Have respect unto the covenant: for the dark places of
the earth are full of the habitations of cruelty.

21 O let not the oppressed return ashamed: let the poor and
needy praise thy name.

22 Arise, O God, plead thine own cause: remember how the
foolish man reproacheth thee daily.

23 Forget not the voice of thine enemies: the tumult of
those that rise up against thee increaseth continually.

Salmos 74.1   Ó Deus, por que nos rejeitaste para sempre? Por que se acende a tua ira contra as ovelhas do teu pasto?

74.2   Lembra-te da tua congregação, que compraste desde a antiguidade; da tua herança que remiste, deste monte Sião, em que habitaste.

74.3   Levanta-te contra as perpétuas assolações, contra tudo o que o inimigo tem feito de mal no santuário.

74.4   Os teus inimigos bramam no meio dos lugares santos; põem neles as suas insígnias por sinais.

74.5   Parecem-se com o homem que avança com o seu machado através da espessura do arvoredo.

74.6   Eis que toda a obra entalhada quebram com machados e martelos.

74.7   Lançaram fogo ao teu santuário; profanaram, derribando-a até ao chão, a morada do teu nome.

74.8   Disseram no seu coração: Despojemo-los de uma vez. Queimaram todos os lugares santos de Deus na terra.

74.9   Já não vemos os nossos sinais, já não há profeta; nem há entre nós alguém que saiba até quando isto durará.

74.10   Até quando, ó Deus, nos afrontará o adversário? Blasfemará o inimigo o teu nome para sempre?

74.11   Por que retiras a tua mão, sim, a tua destra? Tira-a do teu seio e consome-os.

74.12   Todavia, Deus é o meu Rei desde a antiguidade, operando a salvação no meio da terra.

74.13   Tu dividiste o mar pela tua força; quebrantaste a cabeça dos monstros das águas.

74.14   Fizeste em pedaços as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto.

74.15   Fendeste a fonte e o ribeiro; secaste os rios impetuosos.

74.16   Teu é o dia e tua é a noite; preparaste a luz e o sol.

74.17   Estabeleceste todos os limites da terra; verão e inverno, tu os formaste.

74.18   Lembra-te disto: que o inimigo afrontou ao SENHOR, e que um povo louco blasfemou o teu nome.

74.19   Não entregues às feras a alma da tua pombinha; não te esqueças para sempre da vida dos teus aflitos.

74.20   Atenta para o teu concerto, pois os lugares tenebrosos da terra estão cheios de moradas de crueldade.

74.21   Oh! Não volte envergonhado o oprimido; louvem o teu nome o aflito e o necessitado.

74.22   Levanta-te, ó Deus, pleiteia a tua própria causa; lembra-te da afronta que o louco te faz cada dia.

74.23   Não te esqueças dos gritos dos teus inimigos; o tumulto daqueles que se levantam contra ti aumenta continuamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário