domingo, 11 de janeiro de 2015

READING PSALMS (KING JAMES VERSION/ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA)


PSALM 90

A Prayer of Moses the man of God.


1 LORD, thou hast been our dwelling place in all generations.


2 Before the mountains were brought forth, or ever thou
hadst formed the earth and the world, even from everlasting
to everlasting, thou art God.


3 Thou turnest man to destruction; and sayest, Return, ye
children of men.


4 For a thousand years in thy sight are but as yesterday
when it is past, and as a watch in the night.


5 Thou carriest them away as with a flood; they are as a
sleep: in the morning they are like grass which groweth up.


6 In the morning it flourisheth, and groweth up; in the
evening it is cut down, and withereth.


7 For we are consumed by thine anger, and by thy wrath are
we troubled.


8 Thou hast set our iniquities before thee, our secret sins in
the light of thy countenance.


9 For all our days are passed away in thy wrath: we spend
our years as a tale that is told.


10 The days of our years are threescore years and ten; and
if by reason of strength they be fourscore years, yet is their
strength labour and sorrow; for it is soon cut off, and we fly
away.


11 Who knoweth the power of thine anger? even according
to thy fear, so is thy wrath.


12 So teach us to number our days, that we may apply our
hearts unto wisdom.


13 Return, O LORD, how long? and let it repent thee
concerning thy servants.


14 O satisfy us early with thy mercy; that we may rejoice
and be glad all our days.


15 Make us glad according to the days wherein thou hast
afflicted us, and the years wherein we have seen evil.


16 Let thy work appear unto thy servants, and thy glory
unto their children.


17 And let the beauty of the LORD our God be upon us: and
establish thou the work of our hands upon us; yea, the work
of our hands establish thou it.


Salmos 90.1   SENHOR, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em geração.

90.2   Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu és Deus.

90.3   Tu reduzes o homem à destruição; e dizes: Volvei, filhos dos homens.

90.4   Porque mil anos são aos teus olhos como o dia de ontem que passou, e como a vigília da noite.

90.5   Tu os levas como corrente de água; são como um sono; são como a erva que cresce de madrugada;

90.6   de madrugada, cresce e floresce; à tarde, corta-se e seca.

90.7   Pois somos consumidos pela tua ira e pelo teu furor somos angustiados.

90.8   Diante de ti puseste as nossas iniquidades; os nossos pecados ocultos, à luz do teu rosto.

90.9   Pois todos os nossos dias vão passando na tua indignação; acabam-se os nossos anos como um conto ligeiro.

90.10   A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o melhor deles é canseira e enfado, pois passa rapidamente, e nós voamos.

90.11   Quem conhece o poder da tua ira? E a tua cólera, segundo o temor que te é devido?

90.12   Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio.

90.13   Volta-te para nós, SENHOR; até quando? E aplaca-te para com os teus servos.

90.14   Sacia-nos de madrugada com a tua benignidade, para que nos regozijemos e nos alegremos todos os nossos dias.

90.15   Alegra-nos pelos dias em que nos afligiste, e pelos anos em que vimos o mal.

90.16   Apareça a tua obra aos teus servos, e a tua glória, sobre seus filhos.

90.17   E seja sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus; e confirma sobre nós a obra das nossas mãos; sim, confirma a obra das nossas mãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário