sábado, 28 de fevereiro de 2015

A suficiência de Cristo: Albert Benjamim Simpson (1843-1919)




Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, 
como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus” 
(II Coríntios 3:5).

Insuficiente, “Tudo suficiente.” Estas duas palavras formam o complemento uma da outra e juntas dão a chave para uma vida Cristã eficiente. A descoberta e a completa convicção de nossa completa inutilidade é a constante condição do suprimento espiritual. O objetivo do Velho Testamento, pois, é sempre demonstrar a falha do homem; já o objetivo do Novo Testamento, é revelar a suficiência de Cristo. Ele tem todas as coisas para nós, mas não podemos recebê-las até que saibamos que não possuímos nada.

A própria essência, pois, da perfeição Cristã é a constante renúncia de nossa própria perfeição, e a aceitação contínua da justiça de Cristo. E quando recebemos visões mais profundas de nossa escassez e de nosso mal, é mais um chamado de Sua rica graça. Mas é completamente possível conhecer nossa insuficiência e ainda não segurar firmemente “todas as coisas” Suas. [...]. Então vamos encontrar Sua grandeza e graça.

Days of Heaven Upon Earth.
Albert Benjamim Simpson.
Christian Alliance Pub. Co. Brooklyn, N. Y. 
Copyright, December, 1897

Nenhum comentário:

Postar um comentário