sábado, 21 de março de 2015

NAS MÃOS DO OURIVES




“E assentar-se-á, afinando e purificando a prata...” 
(Malaquias 3:3). 

Há tempos, em certo lugar, umas senhoras se reuniram para comunhão em torno das Escrituras. Ao lerem o capítulo 3 de Malaquias, chamou-lhes a atenção o verso três: “E assentar-se-á, afinando e purificando a prata...” O parecer de uma delas foi que a passagem estaria se referindo à obra santificadora da graça de Cristo. Então propôs-se visitar um ourives e trazer às amigas as informações colhidas. Ela foi, como planejado. Sem dizer a razão de sua curiosidade, pediu ao ourives para lhe explicar o processo de purificação da prata.  Ele a atendeu prontamente, com toda a explicação. “E o senhor fica sentado perto, enquanto se desenrola o processo?” perguntou ela. “Sim, minha senhora”, respondeu ele, “preciso estar muito atento, com os olhos fixos no cadinho; pois se o calor passar do ponto, a prata será danificada.”

Aquela senhora viu imediatamente o conforto e beleza contidos no texto: “E assentar-se-á, afinando e purificando a prata...” Cristo vê a necessidade de colocar os Seus amados “na fornalha da aflição”. Mas Seus olhos estão atentos no processo, e Seu amor e sabedoria estão empenhados ali. As nossas provações não surgem ao acaso: “...até mesmo os cabelos das vossas cabeças estão contados.” Quando a senhora se retirava, o ourives a chamou tinha se esquecido de mencionar um detalhe: “Eu sei que o processo está completo”, disse ele, “quando vejo a minha imagem refletida na prata.”

Graça e Verdade. Publicações Graça e Verdade. Janeiro de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário