terça-feira, 21 de abril de 2015

READING GENESIS (KING JAMES VERSION/ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA)

CHAPTER 27

1 AND it came to pass, that when Isaac was old, and his eyes
were dim, so that he could not see, he called Esau his eldest
son, and said unto him, My son: and he said unto him,
Behold, here am I.

2 And he said, Behold now, I am old, I know not the day of
my death:

3 Now therefore take, I pray thee, thy weapons, thy quiver
and thy bow, and go out to the field, and take me some
venison;

4 And make me savoury meat, such as I love, and bring it to
me, that I may eat; that my soul may bless thee before I die.
5 And Rebekah heard when Isaac spake to Esau his son.

And Esau went to the field to hunt for venison, and to bring
it.

6 And Rebekah spake unto Jacob her son, saying, Behold,
I heard thy father speak unto Esau thy brother, saying,

7 Bring me venison, and make me savoury meat, that I may
eat, and bless thee before the LORD before my death.

8 Now therefore, my son, obey my voice according to that
which I command thee.

9 Go now to the flock, and fetch me from thence two good
kids of the goats; and I will make them savoury meat for
thy father, such as he loveth:

10 And thou shalt bring it to thy father, that he may eat, and
that he may bless thee before his death.

11 And Jacob said to Rebekah his mother, Behold, Esau my
brother is a hairy man, and I am a smooth man:

12 My father peradventure will feel me, and I shall seem to
him as a deceiver; and I shall bring a curse upon me, and
not a blessing.

13 And his mother said unto him, Upon me be thy curse,
my son: only obey my voice, and go fetch me them.

14 And he went, and fetched, and brought them to his
mother: and his mother made savoury meat, such as his
father loved.

15 And Rebekah took goodly raiment of her eldest son
Esau, which were with her in the house, and put them upon
Jacob her younger son:

16 And she put the skins of the kids of the goats upon his
hands, and upon the smooth of his neck:

17 And she gave the savoury meat and the bread, which she
had prepared, into the hand of her son Jacob.

18 And he came unto his father, and said, My father: and
he said, Here am I; who art thou, my son?

19 And Jacob said unto his father, I am Esau thy firstborn; I
have done according as thou badest me: arise, I pray thee,
sit and eat of my venison, that thy soul may bless me.

20 And Isaac said unto his son, How is it that thou hast
found it so quickly, my son? And he said, Because the
LORD thy God brought it to me.

21 And Isaac said unto Jacob, Come near, I pray thee, that I
may feel thee, my son, whether thou be my very son Esau
or not.

22 And Jacob went near unto Isaac his father; and he felt
him, and said, The voice is Jacob’s voice, but the hands are
the hands of Esau.

23 And he discerned him not, because his hands were hairy,
as his brother Esau’s hands: so he blessed him.

24 And he said, Art thou my very son Esau? And he said, I
am.

25 And he said, Bring it near to me, and I will eat of my
son’s venison, that my soul may bless thee. And he brought
it near to him, and he did eat: and he brought him wine, and
he drank.

26 And his father Isaac said unto him, Come near now, and
kiss me, my son.

27 And he came near, and kissed him: and he smelled the
smell of his raiment, and blessed him, and said, See, the
smell of my son is as the smell of a field which the LORD
hath blessed:

28 Therefore God give thee of the dew of heaven, and the
fatness of the earth, and plenty of corn and wine:

29 Let people serve thee, and nations bow down to thee: be
lord over thy brethren, and let thy mother’s sons bow down
to thee: cursed be every one that curseth thee, and blessed
be he that blesseth thee.

30 And it came to pass, as soon as Isaac had made an end
of blessing Jacob, and Jacob was yet scarce gone out from
the presence of Isaac his father, that Esau his brother came
in from his hunting.

31 And he also had made savoury meat, and brought it unto
his father, and said unto his father, Let my father arise, and
eat of his son’s venison, that thy soul may bless me.

32 And Isaac his father said unto him, Who art thou? And
he said, I am thy son, thy firstborn Esau.

33 And Isaac trembled very exceedingly, and said, Who?
where is he that hath taken venison, and brought it me, and
I have eaten of all before thou camest, and have blessed
him? yea, and he shall be blessed.

34 And when Esau heard the words of his father, he cried
with a great and exceeding bitter cry, and said unto his
father, Bless me, even me also, O my father.

35 And he said, Thy brother came with subtilty, and hath
taken away thy blessing.

36 And he said, Is not he rightly named Jacob? for he hath
supplanted me these two times: he took away my birthright;
and, behold, now he hath taken away my blessing. And he
said, Hast thou not reserved a blessing for me?

37 And Isaac answered and said unto Esau, Behold, I have
made him thy lord, and all his brethren have I given to him
for servants; and with corn and wine have I sustained him:
and what shall I do now unto thee, my son?

38 And Esau said unto his father, Hast thou but one
blessing, my father? bless me, even me also, O my father.
And Esau lifted up his voice, and wept.

39 And Isaac his father answered and said unto him,
Behold, thy dwelling shall be the fatness of the earth, and of
the dew of heaven from above;

40 And by thy sword shalt thou live, and shalt serve thy
brother; and it shall come to pass when thou shalt have the
dominion, that thou shalt break his yoke from off thy neck.

41 And Esau hated Jacob because of the blessing
wherewith his father blessed him: and Esau said in his
heart, The days of mourning for my father are at hand; then
will I slay my brother Jacob.

42 And these words of Esau her elder son were told to
Rebekah: and she sent and called Jacob her younger son,
and said unto him, Behold, thy brother Esau, as touching
thee, doth comfort himself, purposing to kill thee.

43 Now therefore, my son, obey my voice; and arise, flee
thou to Laban my brother to Haran;

44 And tarry with him a few days, until thy brother’s fury
turn away;

45 Until thy brother’s anger turn away from thee, and he
forget that which thou hast done to him: then I will send,
and fetch thee from thence: why should I be deprived also
of you both in one day?

46 And Rebekah said to Isaac, I am weary of my life
because of the daughters of Heth: if Jacob take a wife of the
daughters of Heth, such as these which are of the daughters
of the land, what good shall my life do me?

Gênesis 27.1   E aconteceu que, como Isaque envelheceu, e os seus olhos se escureceram, de maneira que não podia ver, chamou a Esaú, seu filho mais velho, e disse-lhe: Meu filho! E ele lhe disse: Eis-me aqui!

27.2   E ele disse: Eis que já agora estou velho e não sei o dia da minha morte.

27.3   Agora, pois, toma as tuas armas, a tua aljava e o teu arco, e sai ao campo, e apanha para mim alguma caça,

27.4   e faze-me um guisado saboroso, como eu gosto, e traze-mo, para que eu coma, e para que minha alma te abençoe, antes que morra.

27.5   E Rebeca escutou quando Isaque falava ao seu filho Esaú; e foi-se Esaú ao campo, para apanhar caça que havia de trazer.

27.6   Então, falou Rebeca a Jacó, seu filho, dizendo: Eis que tenho ouvido o teu pai que falava com Esaú, teu irmão, dizendo:

27.7   Traze-me caça e faze-me um guisado saboroso, para que eu coma e te abençoe diante da face do SENHOR, antes da minha morte.

27.8   Agora, pois, filho meu, ouve a minha voz naquilo que eu te mando.

27.9   Vai, agora, ao rebanho e traze-me de lá dois bons cabritos; e eu farei deles um guisado saboroso para teu pai, como ele gosta;

27.10   e levá-lo-ás a teu pai, para que o coma e para que te abençoe antes da sua morte.

27.11   Então, disse Jacó a Rebeca, sua mãe: Eis que Esaú, meu irmão, é varão cabeludo, e eu, varão liso.

27.12   Porventura, me apalpará o meu pai, e serei, a seus olhos, enganador; assim, trarei eu sobre mim maldição e não bênção.

27.13   E disse-lhe sua mãe: Meu filho, sobre mim seja a tua maldição; somente obedece à minha voz, e vai, e traze-mos.

27.14   E foi, e tomou-os, e trouxe-os à sua mãe; e sua mãe fez um guisado saboroso, como seu pai gostava.

27.15   Depois, tomou Rebeca as vestes de gala de Esaú, seu filho mais velho, que tinha consigo em casa, e vestiu a Jacó, seu filho menor.

27.16   E, com as peles dos cabritos, cobriu as suas mãos e a lisura do seu pescoço

27.17   e deu o guisado saboroso e o pão que tinha preparado na mão de Jacó, seu filho.

27.18   E veio ele a seu pai e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui. Quem és tu, meu filho?

27.19   E Jacó disse a seu pai: Eu sou Esaú, teu primogênito. Tenho feito como me disseste. Levanta-te agora, assenta-te e come da minha caça, para que a tua alma me abençoe.

27.20   Então, disse Isaque a seu filho: Como é isto, que tão cedo a achaste, filho meu? E ele disse: Porque o SENHOR, teu Deus, a mandou ao meu encontro.

27.21   E disse Isaque a Jacó: Chega-te agora, para que te apalpe, meu filho, se és meu filho Esaú mesmo ou não.

27.22   Então, se chegou Jacó a Isaque, seu pai, que o apalpou e disse: A voz é a voz de Jacó, porém as mãos são as mãos de Esaú.

27.23   E não o conheceu, porquanto as suas mãos estavam cabeludas, como as mãos de Esaú, seu irmão. E abençoou-o.

27.24   E disse: És tu meu filho Esaú mesmo? E ele disse: Eu sou.

27.25   Então, disse: Faze chegar isso perto de mim, para que coma da caça de meu filho; para que a minha alma te abençoe. E chegou-lho, e comeu; trouxe-lhe também vinho, e bebeu.

27.26   E disse-lhe Isaque, seu pai: Ora, chega-te e beija-me, filho meu.

27.27   E chegou-se e beijou-o. Então, cheirou o cheiro das suas vestes, e abençoou-o, e disse: Eis que o cheiro do meu filho é como o cheiro do campo, que o SENHOR abençoou.

27.28   Assim, pois, te dê Deus do orvalho dos céus, e das gorduras da terra, e abundância de trigo e de mosto.

27.29   Sirvam-te povos, e nações se encurvem a ti; sê senhor de teus irmãos, e os filhos da tua mãe se encurvem a ti; malditos sejam os que te amaldiçoarem, e benditos sejam os que te abençoarem.

27.30   E aconteceu que, acabando Isaque de abençoar a Jacó, apenas Jacó acabava de sair da face de Isaque, seu pai, veio Esaú, seu irmão, da sua caça.


27.31   E fez também ele um guisado saboroso, e trouxe-o a seu pai, e disse a seu pai: Levanta-te, meu pai, e come da caça de teu filho, para que me abençoe a tua alma.

27.32   E disse-lhe Isaque, seu pai: Quem és tu? E ele disse: Eu sou teu filho, o teu primogênito, Esaú.

27.33   Então, estremeceu Isaque de um estremecimento muito grande e disse: Quem, pois, é aquele que apanhou a caça e ma trouxe? Eu comi de tudo, antes que tu viesses, e abençoei-o; também será bendito.

27.34   Esaú, ouvindo as palavras de seu pai, bradou com grande e mui amargo brado e disse a seu pai: Abençoa-me também a mim, meu pai.

27.35   E ele disse: Veio o teu irmão com sutileza e tomou a tua bênção.

27.36   Então, disse ele: Não foi o seu nome justamente chamado Jacó? Por isso, que já duas vezes me enganou: a minha primogenitura me tomou e eis que agora me tomou a minha bênção. E disse mais: Não reservaste, pois, para mim bênção alguma?

27.37   Então, respondeu Isaque e disse a Esaú: Eis que o tenho posto por senhor sobre ti, e todos os seus irmãos lhe tenho dado por servos; e de trigo e de mosto o tenho fortalecido; que te farei, pois, agora a ti, meu filho?

27.38   E disse Esaú a seu pai: Tens uma só bênção, meu pai? Abençoa-me também a mim, meu pai. E levantou Esaú a sua voz e chorou.

27.39   Então, respondeu Isaque, seu pai, e disse-lhe: Eis que a tua habitação será longe das gorduras da terra e sem orvalho dos céus.

27.40   E pela tua espada viverás e ao teu irmão servirás. Acontecerá, porém, que, quando te libertares, então, sacudirás o seu jugo do teu pescoço.

27.41   E aborreceu Esaú a Jacó por causa daquela bênção, com que seu pai o tinha abençoado; e Esaú disse no seu coração: Chegar-se-ão os dias de luto de meu pai; então, matarei a Jacó, meu irmão.

27.42   E foram denunciadas a Rebeca estas palavras de Esaú, seu filho mais velho; e ela enviou, e chamou a Jacó, seu filho menor, e disse-lhe: Eis que Esaú, teu irmão, se consola a teu respeito, propondo-se matar-te.

27.43   Agora, pois, meu filho, ouve a minha voz: levanta-te e acolhe-te a Labão, meu irmão, em Harã;

27.44   e mora com ele alguns dias, até que passe o furor de teu irmão,

27.45   até que se desvie de ti a ira de teu irmão, e se esqueça do que lhe fizeste. Então, enviarei e te farei vir de lá. Por que seria eu desfilhada também de vós ambos num mesmo dia?

27.46   E disse Rebeca a Isaque: Enfadada estou da minha vida, por causa das filhas de Hete; se Jacó tomar mulher das filhas de Hete, como estas são das filhas desta terra, para que me será a vida?

Nenhum comentário:

Postar um comentário