sábado, 9 de maio de 2015

READING GENESIS (KING JAMES VERSION/ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA)

 CHAPTER 44


1 AND he commanded the steward of his house, saying, Fill
the men’s sacks with food, as much as they can carry, and
put every man’s money in his sack’s mouth.

2 And put my cup, the silver cup, in the sack’s mouth of the
youngest, and his corn money. And he did according to the
word that Joseph had spoken.

3 As soon as the morning was light, the men were sent
away, they and their asses.

4 And when they were gone out of the city, and not yet far
off, Joseph said unto his steward, Up, follow after the men;
and when thou dost overtake them, say unto them,
Wherefore have ye rewarded evil for good?

5 Is not this it in which my lord drinketh, and whereby
indeed he divineth? ye have done evil in so doing.

6 And he overtook them, and he spake unto them these
same words.

7 And they said unto him, Wherefore saith my lord these
words? God forbid that thy servants should do according to
this thing:

8 Behold, the money, which we found in our sacks’ mouths,
we brought again unto thee out of the land of Canaan: how
then should we steal out of thy lord’s house silver or gold?

9 With whomsoever of thy servants it be found, both let
him die, and we also will be my lord’s bondmen.

10 And he said, Now also let it be according unto your
words: he with whom it is found shall be my servant; and
ye shall be blameless.

11 Then they speedily took down every man his sack to the
ground, and opened every man his sack.

12 And he searched, and began at the eldest, and left at the
youngest: and the cup was found in Benjamin’s sack.

13 Then they rent their clothes, and laded every man his
ass, and returned to the city.

14 And Judah and his brethren came to Joseph’s house;
for he was yet there: and they fell before him on the ground.

15 And Joseph said unto them, What deed is this that ye
have done? wot ye not that such a man as I can certainly
divine?

16 And Judah said, What shall we say unto my lord? what
shall we speak? or how shall we clear ourselves? God hath
found out the iniquity of thy servants: behold, we are my
lord’s servants, both we, and he also with whom the cup is
found.

17 And he said, God forbid that I should do so: but the man
in whose hand the cup is found, he shall be my servant; and
as for you, get you up in peace unto your father.

18 Then Judah came near unto him, and said, Oh my lord,
let thy servant, I pray thee, speak a word in my lord’s ears,
and let not thine anger burn against thy servant: for thou art
even as Pharaoh.

19 My lord asked his servants, saying, Have ye a father, or
a brother?

20 And we said unto my lord, We have a father, an old
man, and a child of his old age, a little one; and his brother
is dead, and he alone is left of his mother, and his father
loveth him.

21 And thou saidst unto thy servants, Bring him down unto
me, that I may set mine eyes upon him.

22 And we said unto my lord, The lad cannot leave his
father: for if he should leave his father, his father would die.

23 And thou saidst unto thy servants, Except your youngest
brother come down with you, ye shall see my face no more.

24 And it came to pass when we came up unto thy servant
my father, we told him the words of my lord.

25 And our father said, Go again, and buy us a little food.

26 And we said, We cannot go down: if our youngest
brother be with us, then will we go down: for we may not
see the man’s face, except our youngest brother be with us.

27 And thy servant my father said unto us, Ye know that
my wife bare me two sons:

28 And the one went out from me, and I said, Surely he is
torn in pieces; and I saw him not since:

29 And if ye take this also from me, and mischief befall
him, ye shall bring down my gray hairs with sorrow to the
grave.

30 Now therefore when I come to thy servant my father,
and the lad be not with us; seeing that his life is bound up in
the lad’s life;

31 It shall come to pass, when he seeth that the lad is not
with us, that he will die: and thy servants shall bring down
the gray hairs of thy servant our father with sorrow to the
grave.

32 For thy servant became surety for the lad unto my father,
saying, If I bring him not unto thee, then I shall bear the
blame to my father for ever.

33 Now therefore, I pray thee, let thy servant abide instead
of the lad a bondman to my lord; and let the lad go up with
his brethren.

34 For how shall I go up to my father, and the lad be not
with me? lest peradventure I see the evil that shall come on
my father.

Gênesis 44.1   E deu ordem ao que estava sobre a sua casa, dizendo: Enche de mantimento os sacos destes varões, quanto puderem levar, e põe o dinheiro de cada varão na boca do seu saco.

44.2   E o meu copo, o copo de prata, porás na boca do saco do mais novo, com o dinheiro do seu trigo. E fez conforme a palavra de José, que tinha dito.

44.3   Vinda a luz da manhã, despediram-se estes varões, eles com os seus jumentos.

44.4   Saindo eles da cidade e não se havendo ainda distanciado, disse José ao que estava sobre a sua casa: Levanta-te e persegue aqueles varões; e, alcançando-os, lhes dirás: Por que pagastes mal por bem?

44.5   Não é este o copo por que bebe meu senhor? E em que ele bem adivinha? Fizestes mal no que fizestes.

44.6   E alcançou-os e falou-lhes as mesmas palavras.

44.7   E eles disseram-lhe: Por que diz meu senhor tais palavras? Longe estejam teus servos de fazerem semelhante coisa.

44.8   Eis que o dinheiro que temos achado na boca dos nossos sacos te tornamos a trazer desde a terra de Canaã; como, pois, furtaríamos da casa do teu senhor prata ou ouro?

44.9   Aquele dos teus servos, com quem for achado, morra; e ainda nós seremos escravos do meu senhor.

44.10   E ele disse: Ora, seja também assim conforme as vossas palavras; aquele com quem se achar será meu escravo, porém vós sereis desculpados.

44.11   E eles apressaram-se, e cada um pôs em terra o seu saco, e cada um abriu o seu saco.

44.12   E buscou, começando no maior e acabando no mais novo; e achou-se o copo no saco de Benjamim.

44.13   Então, rasgaram as suas vestes, e carregou cada um o seu jumento, e tornaram à cidade.

44.14   E veio Judá com os seus irmãos à casa de José, porque ele ainda estava ali; e prostraram-se diante dele em terra.

44.15   E disse-lhes José: Que é isto que fizestes? Não sabeis vós que tal homem como eu bem adivinha?

44.16   Então, disse Judá: Que diremos a meu senhor? Que falaremos? E como nos justificaremos? Achou Deus a iniquidade de teus servos; eis que somos escravos de meu senhor, tanto nós como aquele em cuja mão foi achado o copo.

44.17   Mas ele disse: Longe de mim que eu tal faça; o varão em cuja mão o copo foi achado, aquele será meu servo; porém vós subi em paz para vosso pai.

44.18   Então, Judá se chegou a ele e disse: Ai! Senhor meu, deixa, peço-te, o teu servo dizer uma palavra aos ouvidos de meu senhor, e não se acenda a tua ira contra o teu servo; porque tu és como Faraó.

44.19   Meu senhor perguntou a seus servos, dizendo: Tendes vós pai ou irmão?

44.20   E dissemos a meu senhor: Temos um velho pai e um moço da sua velhice, o mais novo, cujo irmão é morto; e só ele ficou de sua mãe, e seu pai o ama.

44.21   Então, tu disseste a teus servos: Trazei-mo a mim, e porei os meus olhos sobre ele.

44.22   E nós dissemos a meu senhor: Aquele moço não poderá deixar a seu pai; se deixar a seu pai, este morrerá.

44.23   Então, tu disseste a teus servos: Se vosso irmão mais novo não descer convosco, nunca mais vereis a minha face.

44.24   E aconteceu que, subindo nós a teu servo, meu pai, e contando-lhe as palavras de meu senhor,

44.25   disse nosso pai: Tornai, comprai-nos um pouco de mantimento.

44.26   E nós dissemos: Não poderemos descer; mas, se nosso irmão menor for conosco, desceremos; pois não poderemos ver a face do varão, se este nosso irmão menor não estiver conosco.

44.27   Então, disse-nos teu servo, meu pai: Vós sabeis que minha mulher me deu dois filhos;

44.28   um ausentou-se de mim, e eu disse: Certamente foi despedaçado, e não o tenho visto até agora;

44.29   se agora também tirardes a este da minha face, e lhe acontecer algum desastre, fareis descer as minhas cãs com dor à sepultura.

44.30   Agora, pois, indo eu a teu servo, meu pai, e o moço não indo conosco, como a sua alma está atada com a alma dele,

44.31   acontecerá que, vendo ele que o moço ali não está, morrerá; e teus servos farão descer as cãs de teu servo, nosso pai, com tristeza à sepultura.

44.32   Porque teu servo se deu por fiador por este moço para com meu pai, dizendo: Se não to tornar, eu serei culpado a meu pai todos os dias.

44.33   Agora, pois, fique teu servo em lugar deste moço por escravo de meu senhor, e que suba o moço com os seus irmãos.

44.34   Porque como subirei eu a meu pai, se o moço não for comigo? Para que não veja eu o mal que sobrevirá a meu pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário