sexta-feira, 10 de julho de 2015

ARREPENDIMENTO: Dwight Lyman Moody (1837-1899)




Há alguns que se desculpam pensando que eles são justos; e que, apesar de tudo, não há necessidade deles se arrependerem e crerem no Evangelho. Eles são como o Fariseu na parábola, que agradeceu a Deus por não ser como os outros homens – “roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano;” e que dói dizer: “Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.” Qual é o julgamento sobre tais pessoas hipócritas? “Digo-vos que este [ o publicano arrependido, contrito e pobre] desceu justificado para sua casa, e não aquele” (Lucas 18:11-14). “Não há um justo, nem um sequer.” “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:10,23). Ninguém disse que ele não necessitava de arrependimento. Deixe cada dum tomar o seu verdadeiro lugar- este de pecador; então Deus o exaltará para o lugar de perdão e justificação. “Qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.” (Lucas 14:11).

 Em qualquer lugar que Deus veja arrependimento verdadeiro no coração Ele recebe esta alma.


The Way To God.
Dwight Lyman Moody (1837-1899).
Fleming H. Revell Company. 1884, p. 82-83.

Nenhum comentário:

Postar um comentário