terça-feira, 7 de julho de 2015

Três Coisas na Cruz: Billy Graham




Na cruz de Cristo, vejo três coisas: primeiro, uma descrição da dimensão do pecado humano. Não culpe as pessoas daquela época por crucificar Cristo. Você e eu somos tão culpados quanto elas. Não foram as pessoas nem os soldados romanos que o pregaram à cruz — foram os seus pecados e os meus pecados que o obrigaram a se voluntariar para esta morte.

Segundo, na cruz vejo o imenso amor de Deus. Se algum dia duvidar do amor de Deus, contemple a cruz profunda e demoradamente, pois nela você encontra a expressão do amor de Deus.

Terceiro, na cruz está o único caminho da salvação. Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por Mim” (João, 14:6). Não há nenhuma possibilidade de ser salvo do pecado e do inferno, senão pela identificação com o Cristo da cruz. Se houvesse algum outro meio de nos salvar, Ele o teria encontrado. Se a reabilitação ou a vida moral e ética perfeita nos salvasse, Jesus nunca teria morrido. Um substituto tinha que tomar nosso lugar. Os homens não gostam de falar disto. Não gostam de ouvir isto porque fere seu orgulho. Amesquinha o seu ego.

Em Paz Com Deus. Billy Graham.
Editora Record. 3ª ed., 1995.

Nenhum comentário:

Postar um comentário