quinta-feira, 1 de outubro de 2015

MÊS DA REFORMA PROTESTANTE: MARCAS DA FÉ EVANGÉLICA NO BRASIL - DIA 01




A história  a seguir ilustra admiravelmente como Deus trabalha através de Sua Palavra escrita. Vinte anos atrás um negro escravo numa pequena vila ao sopé da Serra dos Órgãos, que dava para ver a cidade do Rio de Janeiro, foi mandado limpar o lixo que tinha acumulado dentro de um galpão ao lado da casa. Havia um barril cheio de papéis velhos que ele tinha sido ordenado a esvaziar, e ele foi arremessá-los fora, ele descobriu um velho livro; abrindo ele viu o nome de Jesus Cristo, e concluiu que deveria ser um bom livro.

Na página do título lê-se: “O Novo Testamento, isto é: o Novo Concerto de Nosso Fiel Senhor e Redentor, Jesus Cristo.” Ele escondeu o livro debaixo de seu casaco até que o dia de trabalho fosse terminado. Ele era um Católico Romano devoto, e tinha aprendido a ler com o propósito de ler as orações da igreja. À noite ele sentou-se sob uma luz fraca, e lá ele permaneceu a noite toda lendo aquele maravilhoso livro.  Nenhum sono veio aos seus olhos, mas, como ele me disse, muitas vezes lágrimas escorreram por suas bochechas, contudo, ele não podia dizer o porquê. Noite após noite ele lia, muitas vezes a leitura o fazia chorar. Este livro  foi guardado por dezessete anos. Ele guardou o livro com grande cuidado e reverência e nunca permitiu que qualquer coisa fosse colocada no topo da caixa; ele o considerava uma coisa tão santa que ele nunca permitiu que a poeira se alojasse sobre a caixa. Ele tinha imagens e santos, mas este livro logo tornou-se para ele mais sagrado e santo do que eles. Por dezessete anos ele manteve-se meditando dia após dia qual era o real significado de todas as coisas maravilhosas que ele estava lendo naquele livro.

   Uns poucos anos atrás aconteceu dele estar em uma pequena vila perto da Baía do Rio, onde ele encontrou uma mulher negra que era membro de uma das igrejas Protestantes do Rio. Tão logo que ela soube que ele tinha lido o Novo Testamento, ela começou a falar com ele sobre isto.  Ele fez muitas perguntas, e ela deu respostas e explicações. Ele disse isto nesta conversa, que como Saulo de Tarso, as escamas caíram de seus olhos, o amor de Deus encheu sua alma, e ele imediatamente descobriu uma paz e uma alegria pela qual ele tinha ansiado por dezessete anos.

     Pouco tempo depois ele retornou a sua cabine nas montanhas, e por dois anos não viu ninguém desta fé. Um ano atrás um dos colportores  da Sociedade Bíblica Americana passando por esta parte pela primeira vez, sucedeu de encontrá-lo; do colportor ele recebeu alguma instrução e comprou uma Bíblia.

     Enquanto conduzia um pequeno serviço na sala de jantar de um hotel em uma vila nas montanhas, minha atenção foi atraída pelo interesse cativante e apreciação cordial manifestados por um velho negro que sentou perto de mim. Depois do serviço eu tive uma conversa com ele, e ele relatou a mim a história que eu contei. Nunca esqueci a alegria e a vivacidade expressadas pela face do negro. Foi maravilhoso ouvi-lo contar a história deste Novo Testamento e de sua conversão. Ele obteve um maravilhoso conhecimento da Palavra de Deus apenas lendo este livro. Na manhã seguinte, enquanto eu estava deixando o hotel, ele deu-me como presente o seu precioso tesouro, dizendo que desde que ele comprou a Bíblia com impressão maior, ele não necessitava deste Novo Testamento, e como ele poderia ser útil para mim, ele desistiria dele pelo bem da causa.

Este Novo Testamento foi impresso em  Chelsea, Inglaterra, em 1817, por Tilling & – nes (foi destruída algumas letras da primeira parte do segundo nome). O nome H. Hayne é o primeiro na folha de rosto, então vem o nome de Manoel Floriano de Souza. O nome do velho homem que o deu a mim é Francisco Manoel Lago.

THE BIBLE IN BRAZIL: Colporter Experiences.
Hugh Clarence Tucker (1857 – 1956)
New York-USA. YOUNG PEOPLE'S MISSIONARY MOVEMENT OF THE UNITED STATES AND CANADA.  Copyright 1902 BY FLEMING H. REVELL COMPANY, p. 45-48.

Nenhum comentário:

Postar um comentário