quarta-feira, 14 de outubro de 2015

MÊS DA REFORMA PROTESTANTE: MARCAS DA FÉ EVANGÉLICA NO BRASIL - DIA 14




[...] lemos no Diario da Parahyba, de ontem, o seguinte:  

“Arêa, 13 de Agosto de 87.

Não há nada mais prejudicial, neste vale de lágrimas, do que o orgulho mal entendido.

Refiro-me aos habitantes da “heroica e grande” cidade de Arêa, onde infelizmente habito.

Os leitores já devem ter conhecimento do fato triste e vergonhoso que teve lugar aqui no dia 6 do corrente, onde devia se assassinado um ministro da igreja evangélica, se não fosse a intervenção da polícia.

“Lutei com imensas dificuldades para poder garantir os direitos daquele ministro; e se não fossem as providências energicamente tomadas, teria talvez de ser vítima da população ignorante e bárbara, talvez capitaneada por algum santo varão, (o grifo é nosso) ministro da igreja de Roma.”

‘Foram estas palavras que o delegado Glycério dirigiu, em um ofício dato de 7, ao Dr. Chefe de polícia.



Nada mais triste e degradante!
Nada mais vergonhoso para uma cidade que tem-se em conta de civilizada, que tem imprensa, foro ilustradado e é berço de um dos maiores gênios  de nossa pátria, o Dr. Pedro Américo!

A religião evangélica é hoje quase universal, e os fanáticos da cidade de Arêa não de reconhecer mais tarde o seu erro e abraçar a verdadeira religião pregada por Cristo e seus apóstolos.”

Façamos votos ao Todo-Poderoso pelo bem estar do Rvd, Lima, e pela conversão daquele povo, que em breve abandone a idolatria para adorar o Deus vivo, creia no Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e seja salvo.

Parahyba do Norte, 22 de Agosto de 1887.
J.

IMPRENSA EVANGELICA.
VOL. XXIII, Nº 40, SÃO PAULO, 01 DE OUTUBRO
DE 1887, p. 320.

Nenhum comentário:

Postar um comentário