terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

"O que é que fizeste com Meu Filho?"



 
Antes de teres ouvido alguma coisa a respeito de Jesus Cristo, poderias ser neutro. Mas no momento em que Ele te for oferecido, tens que tomar uma decisão. Desde esse dia nunca foste neutro e nem poderás vir a ser neutro outra vez. Toda vez que ouvires o apelo, tomaras uma decisão.

Se hoje não aceitares a Jesus Cristo, então O rejeitarás. Poderás permanecer na tua atitude sem te moveres. Mas por essa atitude, demonstra que, pelo menos por agora, tu O rejeitaste: Rejeitá-Lo-ás ou aceitá-lo-ás como teu Salvador pessoal? Compete a ti decidir.

As Bases de Deus para o Julgamento

Permite-me que te mostre que Deus terá que julgar-te segundo tua última decisão. Suponhamos, por exemplo, que te decidiste hoje a rejeitar Jesus Cristo, mas ao mesmo, tempo resolves que no próximo domingo à tarde mudarás tua decisão, aceitando a Jesus, como Salvador. Agora, suponhamos que morras antes do próximo domingo. Pensas que Deus vai julgar-te segundo o que poderias ter feito, se tivesses vivido? Certamente que não. Deus terá que julgar-te segundo aquilo que fizeste. 

A pergunta do dia do Juízo, não será concernente ao pecado, será concernente ao Filho. Será uma pergunta a respeito da tua relação com Jesus Cristo. "O que é que fizeste com Meu Filho? perguntará Deus. Responderás: "Bem, Senhor, sempre fui um homem religioso. Frequentei a Igreja". Deus te interromperá, dizendo: "Não perguntei nada a respeito de tua vida religiosa. Fiz uma simples pergunta: "O que é que fizeste com Meu Filho?".

Continuando, dirás: "Sempre vivi uma vida boa. Nunca fiz coisa alguma errada". "Espere um momento", dirá Deus "Nunca te perguntei a respeito da vida que viveste. Eu te fiz uma pergunta bem simples: "O que fizeste com meu Filho?"

Bem, Senhor", responderás, "sempre pensei que Teu Filho foi um homem bom. Na verdade, julgava-O o melhor...". 

"Nunca perguntei o que pensaste a respeito de meu Filho. Pergunto-te o que fizeste com meu Filho. Dize-me, aceitaste, ou rejeitaste a Ele? O que é que fizeste com Ele? 

Ficarás em silêncio. Não terás resposta, porque não fizeste nada. Tu o negligenciaste. Serás julgado não por causa do que fizeste, mas por aquilo que deixaste de fazer.

Por que perecerão os homens?

Por que, então, os homens perecerão? Se os homens não vão perecer por causa de seus pecados, então, por que irão perecer?

[...]

Tua vida pode ser exemplar. Possivelmente ninguém poderia trazer uma acusação contra o teu caráter. Aos amigos e vizinhos tens sido bondoso. Mas tens maltratado o Filho de Deus. Repetidamente tens rejeitado suas ofertas de misericórdia. Ele tem permanecido ao lado de fora da porta do teu coração por muitos anos, mas nunca foste suficientemente bondoso para convidá-lo a entrar. 

Que é que pensas que Deus vai fazer quando estiveres na Sua presença? Será que a tua bondade para com os outros irá substituir tua falta de bondade para com Jesus Cristo? Não, a Bíblia é a Palavra de Deus. E isso é justo, afinal de contas. Os outros pecados perdem o seu significado em face deste, o maior de todos os teus crimes: a rejeição do Filho de Deus.
       


             O PAÍS QUE EU  MAIS AMO.OSWALD J. SMITH 
     Cruzada Mundial de Literatura, 4.ª edição, 1983 


Nenhum comentário:

Postar um comentário