sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Jesus e a Oração



     O Filho de Deus, quando andou pelo mundo, foi um dos vultos ou o primeiro vulto proeminente em oração.

     Ele orou na ocasião em que foi batizado. Lucas 3:21

     Orava de manhã muito cedo. Marcos 1:35

     S. Lucas nos fala de passar uma noite inteira em oração sobre um monte. Lucas 6:12
   
    Numa tarde nós O vemos sobre um monte, entregue à oração. Mateus 14:23

    Orava antes de pregar. Marcos 1:35-38

     Antes de escolher os doze apóstolos orou. Lucas 6:12-16.

    Orou antes de dar de comer aos quatro mil homens. Mateus 15:30-38

      O mesmo fez depois de haver feito alguns milagres. Mateus 15:30-38

      Orou antes de andar sobre o mar para ir em socorro dos Seus discípulos que achavam-se em perigo eminente. Mateus 14:22-33

      Era Seu costume orar antes de comer. Lucas 24:24-30.

       Depois de um dia de trabalho ativo Ele Se nos apresenta em oração. Marcos 1:21, 35

           Orou depois de haver dado de comer a cinco mil homens. Mateus 14:15-23  – À parte embora estivesse presente os Seus discípulos. Lucas 9:18

     Em uma outra ocasião orou em voz alta, de maneira que constrangeu um de Seus discípulos a perdir-Lhe que os ensinasse a orar. Lucas 11:1

   Orou por Pedro para que a sua fé não lhe faltasse. Lucas 22: 31-32

    Orou por Seus apóstolos e por todos que por meio da pregação, haviam de crer Nele. João 17:9,15, 20,25

    Orou por Seus inimigos no momento em que foi crucificado. Lucas 23:24

    Depois da cura de um leproso e da pesca milagrosa, Ele orou. Lucas 5:16

    Conta-nos também S. Lucas que Jesus orou na Sua transfiguração. Lucas 9:28, 29

    Orou antes de ressuscitar Lázaro. João 11:33-39

    Ante a perspectiva de Seus sofrimentos e morte, orou. João 12:27

    Orou também no Jardim de Getsêmani – na cruz – e, finalmente, depois de haver cumprido a Sua obra, o Seu último suspiro foi uma oração. Mateus 26:36-46; 27:46; Lucas 23:46

     Leitor, se Jesus que era santo, inocente e mais elevado que os Céus, se Jesus Cristo, o Eterno Filho de Deus passava noites em oração – quanto mais necessidade não temos nós, nós pecadores, fracos e desamparados de recorrer constantemente a esse meio de graça!

IMPRENSA EVANGELICA.
ANO XXVIII, 9 DE ABRIL DE 1892, Nº 15

Nenhum comentário:

Postar um comentário