quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

VINDE A MIM




Não há nada neste mundo que fora da graça de Deus, possa dar alívio à alma; e quem confia mais na religião de Deus do que no Deus da religião, conhecerá que perde o seu tempo por isso que nenhum ato religioso pode substituir a operação do Criador Onipotente dentro de nós. Ou por outra, o mal é interior. A fonte da alegria humana está seca. Deitar-lhe água de fora, não dá remédio, porque não estabelece o manancial. É indispensável que no íntimo da alma opere a graça de Deus, a única força que pode restaurar as criaturas arruinadas.

    E por que será que a alegria está interrompida e a fonte seca? É porque a alma está longe de Deus. A separação, quer seja produzida pelo pecado, quer seja pela indiferença ou esquecimento, ou mesmo pela confiança depositada erradamente em outros objetos, produz infalivelmente este efeito, que a alma não tem, nem pode ter verdadeira satisfação.

    Convença-se o leitor disso, que o remédio está só nas mãos de Deus, e quem vive afastado Dele não pode ter descanso verdadeiro. Diz a Palavra de Deus, de todos aqueles que vivem sem Ele, que “os ímpios são como um mar agitado que não pode acalmar, e com o próprio rolo vem as suas ondas a quebrar na praia e fazer lodo. Não há paz para os ímpios, diz o Senhor” (Isaías 57:20-21)

     Compreender-se-á agora, em presença desta situação tão deplorável, a profunda significação das palavras de convite pronunciadas pelo bendito Salvador: “VINDE A MIM,” todos os que andais em trabalho, e vos achais carregados, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o Meu peso é leve.” (Mateus 11:28-30). Nestas palavras indica-nos Jesus o defeito e a necessidade de todo o gênero humano. Mostra-nos igualmente que o nosso estado era tão desesperado, que nada menos do que a vinda do Unigênito Filho de Deus, a este mundo, sendo Ele Deus, e Todo-Poderoso podia fornecer um alívio para a alma; e demais, que este alívio não se pode  obter senão recorrendo pessoalmente ao próprio Salvador. O pecador, triste por estar afastado de Deus, deve voltar a Deus para alcançar descanso e paz.

      Esta verdade é explícita, e fácil de compreender, e não admite exceções. Todos estão em estado de condenação e terror, enquanto não acham reconciliação pela obra e pelos merecimentos de Jesus Cristo.


ECHO DA VERDADE. 
VOLUME I. NÚMERO 9, BAHIA, JANEIRO DE 1887.

Nenhum comentário:

Postar um comentário