quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

A LEI DE DEUS: ROBERT REID KALLEY (1809-1888)




“Podemos considerar a lei de Deus sob dois pontos de vista: um, como meio de procurar a JUSTIFICAÇÃO, como os judeus faziam e faziam em vão, pois, pelas obras da lei NINGUÉM pode ser justificado. Cristo (sendo o Deus-Homem), pelo cumprimento que deu a toda a Lei e pelo sofrimento de toda a pena — fez acabar toda a ideia do homem justificar-se, senão por meio d’Ele. Claro fica que, quanto à JUSTIFICAÇÃO, Cristo é o fim da lei.

“O outro ponto de vista é que a lei serve como REGRA, para mostrar, aos remidos e JÁ JUSTIFICADOS, A CONDUCTA QUE AGRADA AO PAI.

“A soma dos dez mandamentos é AMAR. Amar a Deus e aos homens.

“Ora, antes de crer em Jesus, o coração humano não tem esse amor a Deus e aos homens. Não está sujeito à lei nem tão pouco pode estar sujeito.

“Mas, quando crê e está justificado pela fé em Cristo, principia a amar; quanto mais forte venha a ter a fé, tanto mais amor e tanto mais cumprimento da lei divina; pois aquele que ama quer fazer sempre, em
tudo, a vontade do AMADO e fazê-la com mais e mais cuidado. E assim estabelece a lei mesma, pela fé.

“Vosso amigo sincero, Robert R. Kalley” .

LEMBRANÇAS DO PASSADO.
João Gomes da Rocha (1861-1947).
CENTRO BRASILEIRO DE PUBLICIDADE Ltda. 
Rio de Janeiro-RJ. 1941, p. 233-234.

Nenhum comentário:

Postar um comentário