sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

O Pecado e o Remédio: Martinho Lutero (1483-1546)



 Daqui em diante, aquele que for condenado não há de queixar-se de Adão e do seu pecado ingênito; pois “a Semente da mulher,” prometida por Deus para pisar a cabeça da serpente, já veio, tem expiado o pecado e tirado a condenação; mas há de clamar contra si mesmo, por não ter aceito e crido neste Cristo, o esmagador da cabeça do Diabo e sufocador do pecado. Se eu não crer o mesmo, o pecado e condenação hão de continuar; porque Aquele que há de me libertar disto não é por mim agarrado; sim! Será um pecado e condenação duplicadamente grande e pesado, o não crer eu no caro Salvador por quem eu poderia ser socorrido, e o não aceitar a Sua redenção. (Gênesis 3:15, 22:18; II Samuel 7:12-16; Mateus 1:1; Gálatas 3:8, 16 – Gênesis 3:15; Hebreus 2:14-15; I João 3:8; Lucas 10:18; João 12:31-33, 16:11; Romanos 16:20)

Martinho Lutero
Jornal Salvação de Graça.


Ano I, Nº 9, Recife-PE, 1878, p. 8.

Nenhum comentário:

Postar um comentário