quinta-feira, 23 de abril de 2015

OUVIR E OBEDECER: NADEGE F. VALENTE



 “Por que me chameis de Senhor, Senhor, 
e não fazeis o que eu digo?” 
Lucas 6:46

     Essas palavras de Cristo Jesus, Nosso Bendito Salvador, impõem constantes e prolongadas meditações, porque a tendência da humanidade é sempre deter-se diante dos defeitos alheios.

     Quando temos oportunidade de assistir alguém censurar tais ou quais defeitos em seus semelhantes, é provável, quase certo, que este alguém possui os mesmos ou ainda piores, daí a prudência em julgar-se impressões desta natureza, por isso que está escrito: - “Não julgueis para que não sejais julgados”.

     O Crente espiritual, como pessoa educada na sã Doutrina do Mestre, vê sempre as boas qualidades, antes do que as faltas, porventura cometidas por seus irmãos, pois assim o ensina a Palavra de Deus (Filipenses 2:3). Ademais, Nosso Senhor Jesus Cristo ensinou que devemos, antes de ver o argueiro nos olhos dos outros, procurar remover a trave que se acha atravessada nos nossos. Quem assim não o fizer, pois, poderá dizer sempre: “Senhor, Senhor,” porém está longe de fazer realmente o que o Senhor mandou que se fizesse.

    É inútil invocar o nome do Senhor em nosso favor, se não temos cumprido com o nosso dever para com Ele,  porque só chegam ao Céu as orações dos que estão limpos de coração: “Bem aventurados os limpos de coração porque eles verão a Deus.”

Corumbá, 9/7/1937
Nadege F. Valente


A PENNA EVANGELICA.
ANO XII, CUIABÁ-MT, 28 DE AGOSTO DE 1937, Nº 516

Nenhum comentário:

Postar um comentário