segunda-feira, 27 de abril de 2015

SOBRE A ORAÇÃO




                 Oferecei as vossas orações em nome de Jesus Cristo.

Ele é o único Mediador entre Deus e o homem (I Timóteo 2:5). É Ele que senta-se com o turíbulo de ouro na Sua mão direita, e vive sempre a interceder por nós (Hebreus 7:25). Ele é um grande e misericordioso Pontífice, que pode Se compadecer das nossas enfermidades (Hebreus 4:15). Não temos justiça alguma própria. Não podemos ter confiança alguma oferecendo oração com nossos próprios nomes. Mas aquele que tem mais do Espírito de Cristo; que chega-se perto a Ele em suas contemplações e devoções; que tem os mais exaltados pensamentos do Redentor, e os mais humildes de si mesmo, gozará mais na sua chegada ao trono da graça.

    Vossas orações serão frias se não procederem de um coração aquecido por Seu amor. Vossas petições não serão fervorosas senão sentirdes a necessidade de um Todo-Poderoso Salvador. Os cânticos que são os mais altos e os mais doces no Céu, se diz, são acesos pelas exibições, que Ele tem manifestado, do que tem feito por nós.

Pedi a ajuda do Espírito Santo.

Quando Deus nos manda orar, não é para que Ele se assente a uma distância de nós, envolvido na frieza de um monarca soberano, ouça nossas orações, e receba nossa homenagem; mas é para que cheguemo-nos perto Dele; bem como um homem em um bote, com um croque, não puxaria a costa para o bote, porém o bote para a costa. Sua promessa de dar o Espírito Santo àqueles que Lho pedirem foi sincera, (Lucas 11:13); nenhum dom pode ser comparado a este. Tudo que se faz para o homem no intuito de chamar sua atenção para as coisas eternas, de santificar o coração, e preparar a alma para o serviço de Deus neste mundo e no outro, é feito pelo Espírito Santo como o agente. Solenes admoestações são feitas na Bíblia para que não abusemos deste último, e melhor dom do Céu.

     Ele é o Santificador para purificar vosso coração, o Consolador para suster e alegrar-vos na vida e na morte (Efésios 4:30; I Tessalonicenses 5:19). Pedi a sua ajuda, e sereis guardado de tentação, disciplinado para serviço aqui, esclarecido em vossas opiniões, expansivo em vossos sentimentos, puro em vossos fins, contente com vossas circunstâncias, tranquilo em vossa morte, e glorioso na imortalidade além do túmulo. (J. Todd)


JORNAL SALVAÇÃO DE GRAÇA.
ANO I, Nº 09, Recife-PE, 1878, p. 3.

Nenhum comentário:

Postar um comentário