terça-feira, 4 de agosto de 2015

SALVO PELA GRAÇA




 No tempo em que Napoleão era o Primeiro Cônsul da França, uma jovenzinha foi a seu palácio em Paris, pedindo uma audiência com ele. Movido por suas lágrimas e rogos, o porteiro que era mui compassivo, a deixou entrar. O primeiro Cônsul ia atravessando casualmente um dos esplêndidos corredores, em companhia de alguns de seus ministros, quando a jovenzinha entrou correndo e se jogou a seus pés, gritando agitadamente:

– “Perdão, senhor, perdão para meu pai!”

– “Quem é teu pai?” perguntou Napoleão bondosamente, “e quem és tu?”

– “Meu nome é Lojolia, e meu pai está setenciado à morte,” foi a resposta.

– “Sim, minha filhinha, disse Napoleão bondosamente, – “esta é a segunda vez que seu pai tem conspirado contra o Estado; não posso fazer nada por ti”.

– “Ah, senhor! Gritou a pobre criança, eu sei, porém na primeira vez meu pai era inocente; agora o que peço não é justiça, mas graça, graça para ele.

    Os lábios de Napoleão tremeram, seus olhos se encheram de lágrimas, e, tomando a mão da menina entre as suas, disse:

– “Levanta-te, minha criança, por ti já perdoei o teu pai.”

       Esta história nos ensina claramente que a justiça requer a condenação do pecador. A menina sabia disto muito bem, por isso ela implorou graça para seu pai, sabendo que conforme a lei, deveria morrer.

Querido leitor: tens pensado nisto alguma vez? Sabes que conforme a santa lei de Deus, a sentença de morte tem sido pronunciada sobre todos os homens?

“A alma que pecar, essa morrerá.”

A morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram.” 
E esta sentença é irrevogável, porque todos pecaram e a santa lei de Deus não pode ser quebrada.

Pois, então, não há meio algum de salvação? Oh, sim, há um, e este é por graça.

A criança de nossa história implorou graça. Ela confessou:

– “Meu pai é culpado, porém eu peço graça para ele.” E o Cônsul deixou que a graça triunfasse sobre a justiça.

Assim o apóstolo Paulo escreveu aos Cristãos de Efésios:

“Pela graça sois salvos, por meio da fé.” Pela fé no Senhor Jesus Cristo, o Filho mui amado de Deus, o pecador recebe graça. Deus, em seu grande amor, preparou um caminho que concorda com seu amor e graça, ao mesmo tempo que com sua justiça e sua santidade. Ele enviou a Seu Filho ao mundo e O entregou em mãos de pecadores, e na cruz Ele veio a ser a oferta pelo pecado; para que todos os que Nele crê, não se percam, mas tenham a vida eterna.

    Pela graça Deus vê o pecador em Cristo, mas somente em Cristo. Fora Dele não há salvação.

EL RAYO. VOL. I, Nº 9,
CONCEPCIÓN, 15 SEPTIEMBRE DE 1925, p. 3-4.

Nenhum comentário:

Postar um comentário