quinta-feira, 24 de setembro de 2015

DESCRIÇÃO DAS SEITAS



                  
As tragédias espirituais devidas ao erro são tão reais como as que ocorrem nas guerras. No mundo todo, as seitas são uma fonte de grandes erros, pelo que as pessoas devem estar preparadas para distinguir entre uma igreja falsa e o verdadeiro corpo de Cristo.
Que é uma seita? Para os propósitos deste estudo, uma seita se define principalmente como um grupo exclusivista de pessoas que se reúnem ao redor de uma interpretação estranha da Bíblia. Embora as seitas em geral digam que são cristãs, ou são compatíveis com o cristianismo, em sua sutileza negam as verdades principais da fé cristã.

Ao defrontar-se com um “evangelista” sectário, o crente deve insistir em que primeiro responda à seguinte pergunta: Que é que você pensa a respeito de Cristo? Quem é Cristo? (Mateus 22:42). O cristão deve estar bem informado sobre a verdadeira doutrina, de modo especial a que diz respeito a Cristo. O Senhor é o fundamento de nossa esperança.

Comentário Bíblico

São contrários à sã doutrina

Leia 1 Timóteo 4:1-3; 2 Pedro 2:1-3,19

A advertência feita por Paulo em 1 Timóteo 4:1-3 deve levar os cristãos a considerarem seriamente seu modo de viver com o Senhor. O apóstolo fala de pessoas que conheceram a verdade, e depois se apartaram dela. Em 2 Pedro 2:1-3, Pedro também se insurge contra os falsos mestres e adverte-nos de que eles podem estar entre os crentes. “Entre vós haverá também falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou” (versículo 1, Edição Contemporânea de Almeida, publicada pela Editora Vida).

     Note a ênfase repetidamente posta na astúcia dos falsos mestres. Paulo se refere a “espíritos enganadores” e a mentiras proferidas com a hipocrisia. É evidente que a fonte dessas heresias satânicas, e as falsas doutrinas eram apresentadas aos crentes sob forma enganosa. Pedro menciona as “palavras fingidas” dos “falsos mestres”, pelas quais estes se aproveitam de seus ouvintes. Em 2 Pedro 2:19, o apóstolo apresenta uma imagem desse engano. Os falsos mestres prometiam a liberdade espiritual a seus  discípulos, embora fossem eles próprios escravos do pecado. 

    Somente ao estudar com cuidado a Palavra de Deus o crente pode descobrir e vencer o mau uso das Sagradas Escrituras que fazem as seitas. Os falsos mestres seduzem as pessoas quando declaram que seu líder recebeu uma revelação “superior”, ou “mais recente” de Deus, que substitui a Bíblia, ou a interpreta à sua própria maneira. Desde que a seita já minou assim a autoridade fundamental das escrituras, o grupo afirma que possui a única “verdade”, a qual está fora do alcance das pessoas que não participam daquela organização sectária.

     A raiz do problema das seitas é que os hereges se sentem atraídos ao que é humano, e não a Deus. O crente imaturo que rejeita o verdadeiro cristianismo por causa  das fraquezas que percebe nos líderes cristãos não dá a Deus a honra que o Senhor merece. Como tal pessoa já está acostumada a basear sua fé nas ações de figuras humanas, fica mais susceptível à liderança autoritária de um ditador religioso.
     Deus não muda nunca (Malaquias 3:6; Hebreus 13:8; diga-se o mesmo a respeito da verdade. Portanto, o Senhor não comunica uma coisa a uma geração para depois mudá-la, ao falar à geração seguinte. É preciso que se comprovem as supostas revelações mais “recentes” à luz da verdadeira revelação, a Bíblia.
    Você conhece bem as doutrinas fundamentais do cristianismo? Faça uma lista delas numa folha de papel e apresente referências bíblicas que lhes dão apoio. Por que é tão importante que creiamos na sã doutrina?

_______________________

Leitura:

1 Timóteo 4:1-3

 1 Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, 2 pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm cauterizada a própria consciência, 3 proibindo o casamento, e ordenam a abstinência de alimentos que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças.

2 Pedro 2:1-3, 19

1 Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. 2 E muitos seguirão as suas dissoluções, e por causa deles será blasfemado o caminho da verdade. 3 Por ganância farão de vós negócio, com palavras fingidas. Para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.

19 Prometem-lhes liberdade, sendo eles mesmos escravos da corrupção; porque de quem um homem é vencido, do mesmo é feito escravo.

2 Coríntios 2:17

17 Nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes, falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus.

2 Coríntios 4:2

2  Pelo contrário, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam; não andamos com astúcia, nem falsificamos a palavra de Deus. Antes, recomendamos-nos à consciência de todos os  homens, na presença de Deus, pela manifestação da verdade.

Gálatas 1:6

6 Admira-me de que tão depressa estejais passando daquele que vos chamou na graça de Cristo, para outro evangelho.

TORCEM AS ESCRITURAS
 Leia 2 Coríntios 2:17; 4:2; Gálatas 1:6

Paulo disse que seu próprio ministério se caracterizava por ser ele próprio sincero no uso da Palavra de Deus (2 Coríntios 2:17, 4:2). Paulo reconhecia que o mau uso da Palavra era uma tática dos falsos mestres. O crente tem a responsabilidade de aplicar e compartilhar as verdades da Bíblia de maneira compatível com a vontade de Deus.

As falsas doutrinas se propagam com mais facilidade quando é possível relacioná-las a certas passagens escriturísticas. Em geral, as seitas torcem as Escrituras em seus intentos de fazer com que dêem apoio às ideias preconcebidas de seus falsos mestres. O estudo correto da Bíblia exige que a pessoa procure nela a verdadeira mensagem de Deus.

[...].

Os crentes que esperam poder refutar os argumentos das seitas e comunicar as verdades do evangelho, devem insistir na definição adequada dos termos doutrinários. Para isso, supõe-se que o crente esteja familiarizado com a Bíblia, e com a maneira de ela estabelecer a doutrina cristã.

    Muitas vezes tais sectários são pessoas sinceras. É lamentável que a sinceridade não possa salvar ninguém da condenação de seus pecados. Só nos salvamos quando recebemos a Jesus Cristo, a figura central do Evangelho. Havemos de considerar como anátema qualquer versão do evangelho que deforme sua mensagem (Gálatas 1:6-8). [...].

As seitas apresentam falsos conceitos sobre Cristo
Leia Mateus 15:8-9; I Coríntios 3:11, 18-21

    As primeiras verdades do evangelho cristão: a morte expiatória de Cristo por nossos pecados e sua ressurreição vitoriosa. As seitas tropeçam na pregação do “Cristo crucificado” e negam a expiação que o Senhor “de uma vez por todas”.

    Em vez da cruz, as seitas criam outra dependência, a do grupo herético, para a salvação de seus adeptos. Mediante a pregação de um evangelho falso, acrescentam as obras ao sacrifício de Cristo, e negam a eficácia da cruz para salvar-nos. Ao substituir a cruz pelas obras, os hereges convencem seus adeptos de que só podem agradar a Deus por meio das obras feitas a serviço da seita. 
Tudo isso dá às seitas um alicerce falso em que baseiam a salvação (1 Coríntios 3:11).

Em lugar do testemunho de Deus a respeito de seu Filho Jesus Cristo, as seitas apelam para a tremenda “sabedoria” de seus líderes. Como diz Paulo em 1 Coríntios 3:18-20, a sabedoria humana não pode substituir a infinita sabedoria de Deus.

   Muitas vezes as pessoas enganadas por uma seita não duvidam de seus ensinos, porque sentem amadas e aceitas pelos seus adeptos. O novo adepto também pode ficar impressionado pelo fato de seus líderes terem sempre uma resposta pronta para qualquer pergunta, e terem instruções para cada setor da vida do 
recém-chegado. Isto livra o novato de qualquer responsabilidade.

    Como é diferente o tipo de vida para o qual Deus nos chama! Não nos convertemos em discípulos de homens. A sabedoria humana é tão falível que é descrita como loucura, quando comparada à verdadeira sabedoria de Deus (1 Coríntios 3:18-21). No versículo 21 podemos discernir uma verdade importante.  Em vez de sair à procura da sabedoria e da glória dos homens, vamos receber a bênção verdadeira, imensa, por meio de Cristo. 

    Quais são algumas das maneiras pelas quais você pode discernir as doutrinas dos homens das de Cristo? Porque é tão importante não perder de vista a divindade de Cristo e sua obra por nós?

Aplicação

Quando uma pessoa entrega a vida a Cristo, pode ter total segurança quanto à sua salvação. As pessoas que se tornam cativas das falsas doutrinas não têm nenhuma certeza de salvação. Sendo crentes, nossa responsabilidade não se resume em enfrentar as heresias, mas também devemos compartilhar a verdade com os que têm sido enganados.

Qualquer sectário bem preparado que tentar discutir com você evitará o confronto franco das doutrinas cristãs, de modo especial as que se relacionam à Trindade Santa, a divindade de Jesus Cristo, a expiação, a salvação pela graça, mediante a fé e a ressurreição corporal de Cristo. O sectário típico tentará mudar de assunto ao ver-se diante da verdadeira identidade de Jesus Cristo. Insista em demonstrar amor, ao dar seu testemunho bíblico de Jesus Cristo. Talvez você possa ganhar um sectário para Cristo, resgatando sua alma das heresias condenáveis das seitas satânicas.



REVISTA O MESTRE (ALUNO). 
EDITORA VIDA: SÃO PAULO-SP,
SÉRIE VIDA RADIANTE, VOL. 06, p57-60. 
1996.



Nenhum comentário:

Postar um comentário