quinta-feira, 3 de setembro de 2015

O CONTATO PESSOAL DO SALVADOR



 Já não é pelo teu dito que nós cremos;
porque nós mesmos o temos ouvido,
e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo,
o Salvador do mundo.”
João 4:42

      As nossas amizades principiam sempre com a apresentação que se nos fazem dos indivíduos. Mas as nossas amizades com os indivíduos só se radicam quando pessoalmente entrarmos em contato com eles e pela experiência constatamos serem realmente dignos do nosso conceito, do nosso apreço.

      Na história da nossa conversão se verifica alguma coisa idêntica: primeiramente ouvimos falar de Jesus, do Seu poder salvador, da grandeza infinita do Seu caráter, do Seu amor aos pecadores; mas a nossa fé, a nossa confiança em Jesus, como nosso Senhor e Mestre, só se torna uma realidade quando nós entramos em contato pessoal com Ele.

  Os samaritanos pelo testemunho da mulher, que correndo pressurosa lhes anunciou o Messias, creram em Cristo, mas a verdadeira certeza lhes veio quando eles mesmos receberam dos lábios de Jesus as palavras de vida eterna.

  E quando pela experiência aceitamos a Cristo como nosso Salvador, uma transformação imensa se opera dentro de nós.

   O homem entregue a si mesmo, ao domínio das suas paixões é naturalmente vicioso, cheio de preconceitos e crédulo. O contato em Jesus Cristo dá-lhe uma nova diretiva para a vida.

     
A mulher samaritana se aproxima de Jesus, deixando transparecer o ódio de sua raça aos judeus, os seus defeitos morais e religiosos. E Jesus, oferecendo-lhe da água “que faz saltar para a vida eterna”, ferindo no ponto frágil da sua moralidade e na ideia errada que ela fazia de Deus, deixa ver que todos os povos são iguais e que n’Ele não há judeu, nem grego, nem bárbaro, nem celta, nem incircunciso, que o homem só se impõe aos outros pelo padrão elevado da sua vida moral e que Deus, sendo espírito, a comunhão com Ele não é monopólio deste ou de aquele povo, mas de todos os que “O adorem em espírito e em verdade”.

    E a Samaritana, ao sair deste seu encontro com o Mestre se torna outra, com uma visão imensamente mais larga da vida da sua relação e dos seus privilégios para com Deus.

     A maior parte dos homens apenas conhecem a Jesus através da história ou do testemunho de outrem: É por isso que tão poucos se tornam realmente Seus discípulos.

    Procurem conhecê-Lo pessoalmente, através dos Evangelhos, pela oração, e uma nova vida irradiará em seus corações. E, jubilosos, com o mesmo fervor dos samaritanos hão de exclamar:

Já não é pelo teu dito que nós cremos;
porque nós mesmos o temos ouvido,
e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo,
o Salvador do mundo.” João 4:42

A PENNA EVANGELICA.
ANO VI, Nº 207. CUIABÁ-MT, 20 DE SETEMBRO DE 1930.

Nenhum comentário:

Postar um comentário