sábado, 14 de novembro de 2015

RESERVO A ESPERANÇA




Refere-se que a Alexandre, o grande, em uma ocasião que conferia grande número de magníficos presentes aos príncipes da sua corte, alguém lhe perguntara o que tencionava reservar para si.

“Para mim reservo a esperança”, replicou o monarca.

Assim dá-se com o crente em Jesus pode perder tudo, porém fica-lhe reservada a esperança.

IMPRENSA EVANGELICA.
ANO XIV, Nº 45, RIO DE JANEIRO-RJ, 7 de Novembro de 1878, p. 356.

Nenhum comentário:

Postar um comentário