segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

25 REFLEXÕES DE NATAL: PARTE XXI



 
 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira 
que deu o Seu Filho Unigênito, 
para que todo aquele que Nele crê não pereça, 
mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o Seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, 
mas para que o mundo fosse salvo por Ele. Quem crê Nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus.  
E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, 
e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as Suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz e não vem para a luz para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.”

João 3:16-21

 DESDE O PRIMEIRO NATAL...
(Daiane Firme Cavalcante) 

Mais de dois mil se passaram desde o Primeiro Natal, e assim como no Primeiro Natal há pessoas que permanecem com seus corações indiferentes a Cristo. A humanidade se encontra à beira do abismo, e muitos, por orgulho, se recusam a olhar para a Estrela Guia a fim de serem guiados por Sua maravilhosa luz.

Em todos os lugares do mundo há dor e desespero. O amor, a fé, a paz e a bondade perderam o sentido para muitos, pois muitos seres humanos se tornaram tão egoístas que só conseguem olhar para si mesmos e o egoísmo os leva a rejeitarem a Luz das Nações. 

Os homens demonstram cada vez mais que amam mais as trevas do que a luz. Matam, roubam e destroem seus próprios semelhantes, não têm misericórdia, são tão egoístas que são capazes de matar até por causa de um pedaço de pão seco.
 
Como no Primeiro Natal, parece que não há lugar para Cristo nos corações dos seres humanos. Como no Primeiro Natal, há pessoas que não querem dar a importância devida à verdade mais límpida deste Universo: “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho Unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)

No Primeiro Natal , a Estrela de Belém já reluzia, mas muitos nem notaram o Seu brilho.

No Primeiro Natal, o egoísmo já cegava os homens, e, por isso, Cristo teve que nascer na manjedoura, pois ninguém quis ceder um Lugar para Cristo nascer, nem mesmo em seus rudes corações.

No Primeiro Natal , os homens eram tão próximos da religião e obedientes às leis de seu país, mas tão afastados de Cristo a ponto de não terem percebido o nascimento do Salvador da humanidade. 

Por outro lado, no Primeiro Natal ouve quem se alegrou com a Presença Santa de Emanuel, Deus Conosco.

No Primeiro Natal, a Estrela Guia brilhou e os reis magos se alegraram por vê-la cintilar no céu.

No Primeiro Natal, os pastores no campo receberam com alegria a notícia do nascimento do Salvador.

A reluzente presença de Jesus aquece e ilumina o coração daqueles que entregam o seu coração a Deus e fazem dele um lugar para Cristo.

É impossível que os nossos olhos humanos não percebam o brilho da luz, mas quando o homem tem seu coração toldado pelo egoísmo, e seu entendimento turvado por desculpas, mágoa e incredulidade a Luz da Vida parece não ter sentido, mas quando o homem decide olhar para a Luz divina, o Espírito Santo martela a Palavra de Deus no coração humano a fim de esmiuçar toda desculpa, engano e incredulidade que algemava a alma humana e assim o Santo Espírito vem e opera a obra de salvação no coração humano.

Que o Santo Espírito, com Sua doce presença, aqueça os corações humanos e opere a maravilhosa obra de salvação naqueles que humildemente entregam os seus corações para ser um lugar para Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário