domingo, 27 de dezembro de 2015

7 REFLEXÕES DE ANO NOVO: PARTE II




Derramai perante Ele o vosso coração...
Salmo 62:8

      QUE visão diferente este texto vividamente dá sobre orar, quando oposto à expressão usual de dizer as nossas orações; dizer o que os nossos livros, ou o que os nossos pais nos ensinam, ou o que temos há muito tempo acostumado a dizer de maneira costumeira e formal! Derramar nossos corações é como esvaziar um vaso de todo o seu conteúdo, para que nada reste; e que coisa importante, assombrosa e agradável deve ser isto! Qualquer coisa que esteja em meu coração, minha culpa ou temores, meus pecados ou pesares, meu cuidados e aflições, meus desejos, perigos, fraquezas, tentações, escuridão, e ignorância, minhas dúvidas e ansiedades a respeito tanto do corpo quanto da alma, sobre mim mesmo e sobre os outros, a igreja e o mundo; cada pensamento que se levante relacionado com o passado, presente ou futuro, tenho que deixar-me esvaziar disto, ou derramar minhas gotas com um fluxo mais copioso, até que nenhum fardo reste; e isto não é diante de mim mesmo ou diante dos homens (pois, que ajuda eu posso conseguir disto?), mas diante de Deus, que é um Deus que ouve orações, que é capaz e disposto a aliviar, e que não se afastará de Suas criaturas quando elas derramarem seus corações diante Dele, mas as encherá com suas consolações, que não são poucas e nem pequenas. [...].

GOLDEN TREASURY. C. H. V. BOGASTKY.
T. NELSON AND SONS, PATEKNOSTETl ROW. 1877, p. 361.

Nenhum comentário:

Postar um comentário