domingo, 3 de janeiro de 2016

ELE SOFREU POR MIM




    Uma história é contada sobre um garoto chamado Charlie, que era cheio de engano e, como outros garotos, frequentemente não parava para pensar como suas brincadeiras afetariam os outros.

     Um dia viu um pobre homem caminhando pela rua com muita dificuldade, pois sua costa estava, lamentavelmente, curvada.

     “Vamos arremessar uma pedra para acertar a sua costa,” disse Charlie, e seguiu o estranho encurvado rua abaixo, se curvando e fazendo graça dele.

    Quando Charlie chegou em casa ele ficou assustado em encontrar o mesmo pobre homem encurvado sentado à mesa do chá. Ele se apressou sem uma palavra, ainda que a fome que sentia fosse mais desconfortável, contudo, nada foi dito sobre o seu tratamento indelicado.
   
    Mas você pode imaginar os seus sentimentos quando sua mãe disse: “Charlie, você sabe quem é o nosso visitante é?”

     “Não, mãe,” ele respondeu, desejando que ele pudesse escapar.

    “Bem, Charlie, quando você era um garotinho, você acidentalmente caiu no rio num dia frio. Este cavalheiro, que então era jovem e andava sem estar curvado, pulou no rio e mesmo com grande risco para a sua própria vida te salvou.

      “Mas, eu sinto muito em dizer,” sua mãe acrescentou, “que ele se resfriou, a febre reumática o pegou e agora as sua pobre costa está tão curvada que nunca ficará bem novamente.Você sabe pouco do terrível sofrimento que ele tem passado porque ele entrou na água para te salvar.”

     Isto mudou completamente os sentimentos de Charlie para com o estranho. Não mais ele era um objeto de escárnio, mas Charlie o amava pelo que ele tinha feito por ele e sofreu pelo seu relato, e ele teria dado tudo o que ele possuía para desfazer seu tratamento cruel para com seu salvador.

****

Você não vê nesta história uma figura da maneira que muitos estão tratando o Senhor Jesus?

       Desprezando e escarnecendo Dele, eles nunca consideram que Ele foi na profunda aflição do Calvário e sofreu agonia indizível para salvá-los de seus pecados e trazê-los ao conhecimento do grande amor de Deus.

      Como você está tratando Ele, querido leitor? Você confia Nele? Você O ama?

                                          F. S. M.

YOUTHFUL DAYS. VOL. XV, 1924, p. 6.
London: G. Morrish,20, Paternoster Square, EC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário