segunda-feira, 30 de setembro de 2013

O ÚLTIMO CONVERTIDO DE JOHN HARPER



Duas horas e quarenta minutos depois do Titanic colidir com o iceberg, ele afundou nas águas geladas.

Centenas se ajuntaram em barcos e botes salva-vidas, e outros se 

agarraram a pedaços de madeira  esperando sobreviver até que 

chegasse socorro. 

Durante cinquenta minutos horríveis os gritos de  socorro encheram a

noite. Eva Hart disse: “O som das pessoas se afogando é algo que não

posso descrever para você.  E ninguém mais pode. É um som 

horrível. E há um silêncio terrível que o segue”. 

O sobrevivente coronel Archibald Gracie chamou  isso de “a cena 

mais lastimável e horrível de todas. Os gritos comoventes dos 

que estavam à nossa volta ainda soam nos meus ouvidos, e eu me 

lembrarei deles para o resto da minha vida”.

Durante aqueles 50 minutos, um homem agarrado a uma tábua

chegou perto de John Harper. Harper, que estava se debatendo

na água, gritou: “Você é salvo?” A resposta foi: Não”. Harper gritou 

as palavras da Bíblia: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás

salvo”. Antes de responder, o homem sumiu na escuridão.

Mais tarde, a correnteza os aproximou novamente. Mais uma vez 

Harper, que estava morrendo, gritou a pergunta: “Você é salvo?” 

Mais uma vez ele recebeu a resposta: “Não”. 

Harper repetiu as palavras de Atos 16.31: “Crê  no Senhor Jesus 

Cristo e serás salvo”.

Harper, que estava se afogando, soltou, então, as mãos do objeto em

que se segurava na água gelada e desceu para seu túmulo no oceano. 

O homem que ele tentou evangelizar confiou em Jesus Cristo. 

Mais tarde ele foi socorrido pelos barcos salva-vidas do navio S. S. 

Carpathia.



Em Hamilton, Ontario, este sobrevivente testemunhou que foi o

“último convertido” de John  Harper.

O último convertido de Harper foi alcançado pelas últimas palavras

de Harper: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo”.


O último herói do Titanic. Moody Adams. 
 
Obra Missionária Chamada da Meia-Noite. 
 
Porto Alegre-RS. 1998.

domingo, 29 de setembro de 2013

CASSIANE E MATTOS NASCIMENTO-CASA DE ORAÇÃO

FOTOS DE CASSIANE (AGOSTO DE 2011) E MATTOS NASCIMENTO (AGOSTO DE 2007) NA CASA DE ORAÇÃO DE LIMEIRA DO OESTE-MG.












SALVAÇÃO






 


Para tornar-se discípulo: O significado do 

coração aquecido. Donald English. Imprensa 

Metodista. São Paulo-SP. p. 29. 1995.

sábado, 28 de setembro de 2013

ORAÇÃO: APROPRIO-ME DA PROMESSA



Senhor, tenho procurado compreender-te e aos 

teus desígnios apenas com minha capacidade 

mental. Mas a confusão e a incerteza que 

imperam em minha vida demonstram como é 

limitada a minha capacidade de com-

preensão. Agora entendo por que nos dotas-te, 

a nós, tuas criaturas, com uma dimensão que 

vai além da inteligência — um espírito interior 

que opera como um aparelho receptor do teu 

Espírito. Pai, se há alguém que precisa de uma 

revelação de teu Espírito, sou eu. Peço-te a 

iluminação do teu Espírito, que é o dom de 

revelação a respeito... da Bíblia, e de como devo 

lê-la [Ela é realmente a tua Palavra, em um 

sentido especial?}.

Da promessa específica que queres dar-me 

hoje. 

Pai, vejo que esta promessa se relaciona com a 

seguinte situação: ....................

Pela fé, escreverei essas "palavras de um 

cavalheiro" em uma folha de papel.

E agora, Senhor, assinando no verso desta 

folha, eu me aproprio da promessa que me 

deste para que opere nessa situação e em 

minha vida.

Como me alegra saber que este cheque foi 

emitido por aquele cuja integridade é 

inquestionável! Eu descanso na certeza de que 

a garantia deste cheque me dá segurança total, 

pois por ele respondem todos os

recursos e reservas dos céus. Obrigado, Pai. 

Amém.

Aventuras na Oração. Catherine Marshall.
Editora Betânia. 5 ed. 1981.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

O SENHOR É O MEU PASTOR


"O Senhor é o meu pastor."

Não está escrito que Ele era, ou pode ser, ou 

será. "O Senhor é o meu pastor", é no domingo, 

é na segunda-feira e é em cada dia da semana; 

é em janeiro, é em dezembro e em todos os 

meses do ano; é em nosso país, e é no 

estrangeiro; é na paz e é na guerra; é na 

fartura e é na necessidade. — J. Hudson Taylor

Extraído de: Mananciais no deserto.

Lettie Burd Cowman (1870-1960).

Editora Betânia.