quinta-feira, 30 de abril de 2015

THE LORD ON HIGH IS MIGHTY!


Como se purifica os corações

 


  Havia certa vez uma gota de água suja, tão suja como o barro.

– Oh! Como eu gostaria de sair desta impureza e desta sujeira!, exclamou.

– E, por que não? – perguntou a brisa passando por ela.

– Por que não? Como crê que poderia fazê-lo?, interrogou a gota.

– Pergunte ao sol, ele é forte e carinhoso, e ele te tirará do pântano, seus raios te rodeiam, não podes acaso vê-los e senti-los? O sol é imenso, porém não tão imenso para mandar um raio de luz especialmente brilhar sobre ti, tu que és somente uma insignificante gota. Não lhe peça mais e veremos o que acontece.

    Assim, pois, a gota imunda pediu ao imenso, puro e formoso sol que a levantasse daquele pântano tão imundo e desagradável. E o sol fez isto num instante.

Para cima, para cima e para cima foi a gota, levantada pelo amável calor do sol, vagando  através da celeste abóbada do céu, até que descansou na formosa nuvem; e logo a nuvem a deixou cair em uma montanha magnífica e imensa.

   Caiu a gota em um lago cheio de água cristalina e pura.

        De pronto começou a temer a gota do nosso conto, que a sujeira que levava, fosse manchar a nítida pureza do lago, então começou a observar e com grande surpresa descobriu que o barro e a impureza que levava consigo, havia desaparecido, quando o sol veio em seu auxílio, tirando-a da lama em que vivia.

    Assim como o sol purificou a gota de água, Jesus que é o Sol da Justiça, purifica os corações que caem debaixo de seus raios santos e maravilhosos.

EL AVANCE.
ANO I, Nº 20, SANTIAGO DE CHILE, 15 DE DEZEMBRO DE 1940, p. 79-80.



Disponível em:
 http://descubre.bibliotecanacional.cl

quarta-feira, 29 de abril de 2015

SALMO XXIII



 SALMO XXIII

Estudo da Exa. Esposa do Sr. John R. Mott

“O Senhor é meu pastor, nada me faltará”

Não me faltará descanso – “Deitar-me faz em verdes pastos”

Não me faltará bebida – “Guia-me mansamente à águas mui quietas”.

Não me faltará perdão – “Refrigeras (restaura) a  minha alma”.

Não me faltará direção – “Guia-me pelas veredas da justiça por amor do Seu nome”.

Não me faltará companhia – “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra, da morte, não temeria males, porque Tu estás comigo”.

Não me faltará conforto – “Tua vara e Teu cajado me confortam”.

Não me faltará alimento – “Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos”.

Não me faltará alegria – “Unges a minha cabeça com óleo”.

Não me faltará coisa alguma – “O meu cálice transborda”.

Não me faltará coisa alguma nesta vida – “Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida”.

Não me faltará coisa alguma na eternidade – “E habitarei na casa do Senhor por diuturnidade de dias”.

Isto é o que Davi disse que ele encontraria no Bom Pastor.

E de como este Salmo se cumpriu em Cristo provam-no as Suas próprias palavras:

Não me faltará descanso – “Vinde a Mim todos os que andais em trabalho e vos achais carregados, e Eu vos aliviarei”.

Não te faltará bebida – “Se algum tem sede, venha a Mim e beba”.

Não te faltará perdão – “O Filho do Homem tem na terra poder de perdoar pecados”.

Não te faltará direção – “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”.

Não te faltará companhia – “Eis-Me convosco sempre”.

Não te faltará consolação – “O Pai vos dará outro Consolador”.

Não te faltará alimento – “Eu sou o Pão da Vida, o que vem a Mim não terá jamais fome”.

Não te faltará gozo – “Para que Meu gozo fique em vós, e o vosso gozo seja completo.”

Não me faltará coisa alguma – “Para que tudo quanto vós pedirdes a meu Pai em Meu nome, Ele vo-lo conceda”.

Não te faltará coisa alguma nesta vida – “Buscai primeiramente o Reino de Deus e a Sua justiça e todas estas coisas se vos acrescentarão”.

Não te faltará coisa alguma na eternidade – “Vou aparelhar-vos o lugar: – para que onde Eu estou estejais vós também”.

A PENNA EVANGELICA.
ANO XVII, Nº746, CUIABÁ-MT, 31 DE JANEIRO DE 1942.

WOUNDED, BRUISED (ISAIAH 53:5)


BE GRACIOUS


terça-feira, 28 de abril de 2015

HE WILL MAKE STRAIGHT YOUR PATHS (PROVERBS 3:6)


Uma moeda falsa





Discutiam entre si dois empregados de um banco a genuidade de uma prata de mil reis, que um deles tinha na mão. Submeteram-na  a um exame rigoroso, pesando-a, mas sem lhe poderem descobrir anormalidade alguma.

     Se era falsa, não deixava de ser em todos os sentidos uma imitação maravilhosa da moeda verdadeira.

      Na verdade, assim sucedera, porque sem dúvida já havia figurado em bastantes transações. Compararam-na com outra moeda de mil reis, e o confronto não acusava diferença alguma.
  
    Para finalizar, um deles propôs fogo como prova satisfatória e definitiva. Esquentaram um ferro a cor rubra, e sobre ela colocaram a moeda em questão. Ei-la que foge feito azougue! Está descoberta a trapaça! Não resistiu à ação do fogo!

     A outra, a verdadeira, também foi submetida ao ferro candente. Essa, porém, não se derreteu. O fogo verificou e demonstrou sua genuidade. Passou incólume pela terrível prova.

    Há tanta coisa falta neste mundo, passando por verdadeiro, mas o fogo implacável do julgamento divino consumirá e liquidará inexoravelmente, sem compaixão, todas essas misérias.

O MENSAGEIRO.
Ano 3-2ª época, Nº 14, S. Francisco do Sul-SC, Outubro de 1916, p. 3.